O ex-candidato do partido democrata à presidência dos Estados Unidos e senador pelo estado de Massachusetts John Kerry solicitou asilo em seu pai para o brasileiro Genesio “Junior” Oliveira, que está longe de seu marido, Tim Coco, desde agosto de 2007, quando saiu do território norte-americano após ter seu pedido de asilo e uma apelação desaprovados.

Kerry enviou na quinta-feira uma carta a Eric Holder, secretário de Justiça do País, alegando que a decisão do juiz de Imigração Francis Cramer, responsável pela negação do pedido de asilo de Genesio, seria “ultrajante”. Genesio solicitara asilo em 2002, por conta de um estupro que teria sofrido nas mãos de um médico no Brasil e por sofrer perseguição por conta de sua orientação sexual. Porém, para Cramer, apesar do depoimento do brasileiro sobre o estupro ter sido convincente, o incidente não causou danos físicos em Genesio.

O juiz defendeu que, mesmo que os imigrantes tenham o direito de fixar residência nos Estados Unidos ao casar no país, seu governo não reconhece casamentos gays. Por essa razão, ele teria negado o pedido de Oliveira para permanecer em solo ianque.

O senador contestou a decisão dizendo que o asilo deve ser considerado válido por critérios de justiça e compaixão. Para ele, o caso não requer a anulação ou alteração de uma lei federal, mas de oferecer um enfoque adequado para uma situação humanitária.

O ex-candidato soube das dificuldades de Tim e Genesio quando o marido americano do brasileiro foi a seu escritório solicitar ajuda. O casal se conheceu durante as férias de Genesio, em 2002, e se casou em 2005, adquirindo uma casa no norte de Boston. Quando o brasileiro perdeu a apelação, em 2007, teve somente dois meses para deixar o país. Desde então, com exceção de viagens curtas e conversas via internet, Tim e Genesio não conseguem ficar juntos.

Sem mais artigos