O ex-jogador da seleção francesa Lilian Thuram assinalou nesta terça-feira (28) que “é preciso fazer uma reflexão histórica para superar o racismo e pensar a respeito dos preconceitos ainda presentes na sociedade”. Na apresentação da campanha “Não à Discriminação” lançada pelo Conselho da Europa, que conta com o apoio da fundação criada pelo ex-jogador, Thuram destacou que é preciso “mudar o imaginário do povo”.


 


“O racismo existe hoje em dia”, assinalou. “Mas a sociedade progride pouco a pouco, como mostra o avanço extraordinário que supôs a escolha de um presidente negro nos Estados Unidos, país que nos anos 60 os negros eram considerados inferiores e em 2009 estão no comando”, completou o ex-jogador.


 


Segundo Thuram, houve um trabalho para transformar o imaginário do povo, que começou com a escravidão e evoluiu com trágicas reflexões de intelectuais, como as do escritor francês Victor Hugo, quando dizia que “o branco fez do negro um homem”, lembrou o ex-jogador. Por esse motivo, “é necessário desconstruir esta história” para deixá-la para trás, já que “nos pôs nesta situação”, afirmou.


 


Para o ex-jogador, o racismo não é algo natural. “Quando há respeito ao outro desde o princípio, esse sentimento não aparece”, comentou Thuram, ao destacar o papel determinante da educação.


 


Cerca de 500 cartazes serão postos a partir de amanhã (29) nas marquises de ônibus e nos painéis luminosos de Paris, como já estão presentes em Roma desde janeiro. Até junho a campanha estará em Madri, Lisboa e Moscou.


 


Leia também:


 


Time russo de torcida racista quer contratar o brasileiro Grafite, diz jornal


 



 

Ex-jogador francês, Thuram pede reflexão histórica para superar racismo

Sem mais artigos