A última sessão do julgamento do austríaco Josef Fritzl, de 73 anos, terminou nesta quarta-feira (18/03) na Audiência Provincial de Sankt Pölten, na região oeste de Viena. Com isso, o anúncio do veredicto deve ocorrer já na quinta-feira (19/03). Fritzl é acusado de ter trancado em um porão durante 24 anos sua filha Elisabeth. Ela teria sido constantemente violentada pelo pai, com o qual teve sete filhos.

Fritzl assumiu a culpa das acusações contra si, entre elas homicídio por omissão de socorro e escravidão. Inclusive, um dos filhos de Fritzl com a filha morreu em 1996, poucos depois dias de nascer, devido à falta de assistência médica.

A admissão de culpa do austríaco poderia facilitar a decisão do Tribunal, e ele pode ser condenado a uma pena de prisão perpétua. Além de homicídio e escravidão, ele é acusado de estupro, coação grave, cárcere privado e incesto.

Na sessão desta quarta foram apresentados os relatórios periciais sobre o estado psiquiátrico do réu e outros estudos técnicos sobre o cativeiro onde Fritzl trancou a filha.

Bebê

Fritzl reconheceu que “deveria ter feito alguma coisa” para evitar a morte de uma das sete crianças que teve com sua própria filha, Elisabeth. “Não sei por que não ajudei. Esperava que o bebê pudesse passar por isso”, disse.

“Declaro ser culpado. Deveria ter reconhecido que o bebê estava mal”, afirmou o acusado. “Simplesmente não me dei conta. Pensava que o menino ia sobreviver”.

Baixa Hits. A mais completa loja de Música digital da
Internet está a um clique daqui!

Sem mais artigos