O Governo da Argentina deplorou as
manifestações racistas da torcida do Independiente contra os
imigrantes de Bolívia e Paraguai na vitória de 2 a 0 sobre o Boca
Juniors, pelo Torneio Clausura local.

Na partida em questão, pela quinta rodada, torcedores da equipe
de Avellaneda mostraram bandeiras de Bolívia e Paraguai com o número
12, que identifica os torcedores do Boca, em um ato considerado
discriminatório. Eles ainda cantaram músicas ofensivas.

Em carta à embaixadora boliviana em Buenos Aires, Leonor Arauco,
o vice-ministro de Relações Exteriores argentino, Victorio Taccetti,
disse que o país “rejeita da forma mais firme toda prática
discriminatória e lamenta os fatos”.

“A Argentina tem uma clara e firme política contra o racismo, a
discriminação e toda forma de intolerância” e que “a sociedade
argentina reagiu em conjunto contra as referidas manifestações
xenófobas”.

O Executivo paraguaio, por sua vez, expressou “preocupação e
desagrado” pelo fato. O Governo boliviano exigiu que os responsáveis
sejam punidos.

“Tenho certeza que este ato isolado não prejudicará de forma
alguma as excelentes relações entre os dois países”, concluiu
Taccetti na carta.

A federação argentina de futebol também repudiou o incidente e
disse já ter começado uma investigação para punir os culpados. O
Independiente pode até ser multado. Os jogadores do clube já apareceram na partida seguinte com um
cartaz contra a discriminação.

Sem mais artigos