A pequena República de Palau, no Ocenano Pacífico, terá o primeiro santuário do mundo para tubarões. O anúncio foi feito hoje pelo presidente do país durante sessão da Assembléia Geral da ONU, que acontece em Nova York. 

A criação do parque servirá de proteção para 130 espécies de tubarões. A reserva no oceano terá cerca de 600 mil quilômetros quadrados, uma área quase do tamanho da França, onde será proibida a pesca comercial.

Em entrevista para a rede BBC, o presidente Johnson Toribiong pediu a todos os países que tomem medidas mais efetivas para proteger os tubarões contra o risco de extinção. Estimativas apontam para 100 milhões de tubarões mortos por ano no mundo, especialmente por suas barbatanas, iguaria apreciada em diversas culturas.

Além de proteger os tubarões, a medida que será adotada por Palau quer incentivar ainda mais o turismo, sua principal fonte de renda. Os animais atraem mergulhadores e também representam um equilíbrio para o ecossistema, especialmente para os corais.

No entanto, um problema ainda precisará ser solucionado. O país possui apenas um navio equipado para patrulhar suas águas, insuficiente para abordar as dezenas de embarcações ilegais que entram no território em busca dos tubarões.

Caça a Baleias

Diante do questionamento de organismos ambientais quanto à posição a favor da caça de baleias e sua aliança histórica com o Japão, outro país cuja caça a baleias desperta a ira de grupos de proteção animal, o presidente Toribiong disse que Palau poderá rever sua posição, embora tenha afirmado que a decisão ainda dependerá de reuniões bilaterais com os japoneses.

Sem mais artigos