As investigações da Polícia Federal sobre as operações da construtora Camargo Corrêa apontam, entre outras coisas, para uma fortuna do ex-presidente Jânio Quadros que estaria escondida fora do país.

Interessado na suposta herança, Jânio Quadros Neto, o neto do ex-presidente, contratou o advogado Marcos Vilarinho que, por sua vez, acionou o consultor financeiro Kurt Pickel para localizar o dinheiro. Então, Kurt recorreu ao advogado Patrice le Houelleur que, na Suíça, estaria tentando encontrar as contas milionárias do ex-presidente.

A rede que tentava rastrear o dinheiro foi desmantelada quando a Polícia passou a investigar Kurt Pickel, indiciado por crimes financeiros na operação da PF.

Pesquisa

No Brasil, o consultor financeiro escreveu a Patrice le Houelleur: “São fundos provavelmente substanciais, excedendo 20 mio, do senhor Jânio da Silva Quadros”. Com isso, a Policia interpretou como provavelmente 20 milhões em moeda não mencionada.

Kurt disse ainda que “o finado Jânio Quadros era conhecido como um homem inteligente, astuto e sem dúvida escondeu bem os fundos que possuía no exterior”.

Em resposta, o advogado suíço pediu uma procuração assinada pelos herdeiros para iniciar a pesquisa nos bancos suíços.

Suspeitas

No passado, Jânio Quadros foi acusado por opositores e pela própria filha de ter uma conta secreta na Suiça. Jânio sempre negou.

O último registro da Policia Federal sobre as supostas contas secretas do ex-presidente é de outubro do ano passado. Segundo o próprio advogado Marcos Vilarinho, a família de Jânio Quadros concordou em interromper a procura por causa da dificuldade e do alto custo das buscas.

Ministério Público

Diante das informações, o Ministério Público Federal informou que vai abrir uma investigação específica sobre o caso e vai pedir informações às autoridades suíças.

Sem mais artigos