O ministro da Defesa israelense, Ehud Barak, afirmou nesta terça-feira, 28, que o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, levará em sua próxima visita aos Estados Unidos um plano “baseado na formula de dois Estados” para resolver o conflito do Oriente Médio.
 
“Netanyahu aceitou os Acordos de Oslo, que estipulavam a criação de um Estado palestino junto ao de Israel. Acho que agora, na sua visita a Washington, Israel irá com esse princípio”, disse Barak ao diário Haaretz. “É preciso compreender que os líderes não se diferenciam muito em sua perspectiva sobre a forma como deve ser o acordo final” para solucionar o conflito, acrescentou o titular da Defesa.
 
“É possível, e necessário, agir para conseguir um acordo de paz antes de três anos”, disse Barak, cujo partido, o Trabalhista, é o único do anterior governo israelense – partidário do diálogo com os palestinos – que permanece no atual, de postura direitista.
 
Netanyahu, que deve viajar no final de maio a Washington para se reunir com o presidente americano, Barack Obama, não comentou em seu discurso público a criação de um Estado palestino, como exigem os EUA e a comunidade internacional.

O chefe do atual governo israelense se mostrou partidário de manter negociações com a Autoridade Nacional Palestina (ANP), do moderado Mahmoud Abbas, mas somente sobre uma agenda de caráter econômico e de segurança, não de conteúdo político.

Israel apresentará plano de paz com dois Estados, diz Barak

Sem mais artigos