O tucano José Serra, 68, foi proclamado neste sábado (10) pré-candidato à Presidência do Brasil para as eleições de outubro.

A candidatura de Serra, economista, ex-governador de São Paulo e em posição de ligeira vantagem em todas as pesquisas, foi proclamada por seu partido PSDB mais os aliados PPS e Democratas (DEM).

O senador Sérgio Guerra (PSDB-PE), presidente do partido, declarou em meio a aplausos, que o agora candidato, derrotado por Lula em 2002, “é a pessoa mais preparada para governar o país e iniciar uma nova fase de prosperidade”.

A falta de experiência de Dilma em campanhas foi destacada em várias ocasiões por Guerra. Sem citar seu nome, ele disse que o Brasil deverá escolher em outubro entre “a experiência” de Serra, com quase 50 anos de vida pública, e “a aventura que representa quem nunca foi líder de nada”.

Guerra lembrou que seu correligionário enfrentou à ditadura na Presidência da União Nacional de Estudantes, quando tinha 20 anos e que isso o levou a um exílio de 14 anos.

“Não se curvou diante do autoritarismo da ditadura, mas também não se rendeu aos atos irresponsáveis”, sustentou o senador em referência ao envolvimento de Dilma em grupos de luta armada contra o regime militar. Guerra citou também a participação de Serra como assessor no Governo do presidente Salvador Allende, durante seu exílio no Chile.

Serra concorreu à Presidência nas eleições de 2002, sendo derrotado por Lula.

José Serra lançado pré-candidato à Presidência

Sem mais artigos