O laboratório farmacêutico Novartis informou nesta sexta-feira (12) que conseguiu sintetizar o primeiro lote de uma vacina contra gripe suína. De acordo com a empresa sediada na suiça, a vacina foi feita a partir de uma tecnologia celular, ao contrário de outras vacinas tradicionais que são obtidas através de ovos. Com isso, o laborário acredita que conseguirá economizar tempo e combater com mais rapidez o vírus influenza A (H1N1).

A vacina anunciada pela Novartis foi produzida no laboratório em Marburg, na Alemanha. A companhia disse que poderá produzir milhões de doses de vacina por semana. Ainda segundo a empresa, mais de 30 países já solicitaram o medicamento. Apenas o Departamento de Saúde dos Estados Unidos teria feito uma encomenda no valor de US$ 289 milhões. Os primeiros testes devem começar em julho.

“Esperamos fazer face a esta emergência de saúde pública que mostrou nossa capacidade de oferecer uma rápida resposta a esta epidemia”, disse Andrin Oswald, diretor-geral do núcleo de Vacinas e Diagnósticos da Novartis.

O anúncio da vacina ocorreu antes do tempo previsto pela Organização Mundial de Saúde. Segundo a OMS, as vacinas para a gripe suína deveriam estar aprovadas e prontas para venda em setembro.

Além disso, a informação sobre a vacina ocorre no dia seguinte ao anúncio da OMS que elevou o nível de alerta da doença. Na quinta-feira (11), a entidade anunciou que a gripe suína atingiu o nível de pandemia. O termo tem relação apenas com a ampla distribuição geográfica da gripe suína, considerada uma doença “moderada”. O vírus influenza A (H1N1) já atinge 74 países e está próximo de registrar 30 mil casos.

Sem mais artigos