De acordo com o laudo preliminar do Instituto de Criminalística do Paraná, o carro do ex-deputado estadual no Paraná Fernando Carli Filho, 26, “decolou” por ao menos dez metros de distância antes de bater no automóvel onde estavam dois jovens que morreram após o acidente. A colisão aconteceu no dia 7 de maio em Curitiba.

Na noite da segunda-feira (22), peritos e policiais civis fizeram a reconstituição do acidente. Duas testemunhas auxiliaram nos trabalhos, que foram acompanhados por familiares de Gilmar Rafael Yared, 26, uma das vítimas do acidente.

Segundo Joice Malakoski, chefe da Diretoria Técnica da Capital do Instituto de Criminalística do Estado, o laudo sobre a batida será apresentado em 30 dias. Por isso, ainda não é possível afirmar qual era a velocidade exata do carro que o ex-deputado guiava.

“Só dá para dizer que ele estava acima da velocidade permitida para a via, que é de 60 km/h. Se estivesse na velocidade permitida, ele conseguiria evitar o choque”, disse.

O delegado Armando Braga Neto, responsável pelo inquérito policial, disse que só concluirá o documento quando laudo da criminalística estiver finalizado.

O ex-deputado já foi indiciado por duplo homicídio com dolo eventual (quando é assumido o risco de produzir o crime) porque dirigia bêbado. Exame do Instituto Médico Legal apontou que, no dia do acidente, ele tinha 7,8 decigramas de álcool por litro de sangue, quase quatro vezes acima do permitido por lei.

Sem mais artigos