Depois de declarar ao The Guardian, em entrevista de dezembro de 2008, que se sentia como “uma personagem de histórias em quadrinhos” pela exposição na mídia, Lily Allen afirmou ao The Independent que se sente como “um animal enjaulado”. Segundo ela, a perseguição dos papparazzi é tão intensa que todos os dias cerca de 20 fotógrafos a seguiam em qualquer lugar, o que resultou em um acidente de carro. “É como se eu tivesse tido permissão para ter uma carreira e uma vida, embora isso faça com que eu me sinta um animal enjaulado”.

A relação de Lily Allen com os fotógrafos nunca foi muito pacífica – além de ter atacado um papparazzi que a observava do lado de fora de sua casa, a cantora também foi acusada de chutar um fotógrafo. O advogado da cantora afirmou que ela enfrentou muitas perseguições da mídia – para Lily, não há como continuar desta forma: “ao invés de conversarem comigo como seres humanos decentes, eles simplesmente começam a tirar fotos”. Segundo ela, também foi difícil enfrentar a imprensa quando perdeu seu bebê – o pai, Ed Simmons do Chemical Brothers, era seu namorado na época –, já que ela não conseguia lidar com o lado emocional da perda devido à pressão da mídia. “As pessoas, aliás, nem deveriam ter ficado sabendo que eu estava grávida”.

Lily Allen está divulgando seu segundo CD, It’s Not Me, It’s You, que já tem os vídeos The Fear e Not Fair. A turnê do álbum começa dia 1º de abril.

Sem mais artigos