Crianças se revoltarem com a escola é normal, todo mundo já passou por isso. Mas quando as mães resolvem levantar a voz para reclamar da instituição alguma coisa está errada. Na última semana duas histórias curiosas apareceram nos Estados Unidos.

No Minessota uma mãe ficou fula da vida quando soube que seu filho tinha recebido uma suspensão. Mas ela ficou realmente possessa quando descobriu o motivo. O veterano Brian Brochman apareceu em uma foto vestindo nada além de tênis de corrida, uma sunga fio-dental, e uma máscara do Bill Clinton.

A foto foi tirada durante uma festa de boas-vindas, um trote para os novos alunos do Colégio Stillwater Area. Mas o pior de tudo é que a imagem foi usada no anuário do colégio. “Eles mudaram de idéia para vender mais anuários”, reclama a mãe, acusando a escola de hipocrisia.

Uma coisa ela tem razão: gente pelada fazendo maluquice alavanca qualquer venda.

Máscara do Clinton, sunga atochada no rêgo e tênis de corrida. Isso sim são boas-vindas para os calouros! (Vírgula)

Máscara do Clinton, sunga atochada no rêgo e tênis de corrida. Isso sim são boas-vindas para os calouros! (Vírgula)

O outro caso, no Texas, é praticamente um bullying feito pela própria escola. Bullying, pra quem não sabe, é o nome dado à violência física ou psicológica feita pelos “valentões” da escola. E não é que a Blanton Elementary School resolveu tirar sarro de um aluno deliberadamente?

Eles penduraram uma foto do aluno Ladarion Neal, de 11 anos, com a cabeça dentro de uma lata de lixo, como se estivesse vomitando. Ao lado o texto “I´d rather be reading” (Eu preferia estar lendo), como parte de uma campanha para estimular a leitura entre os alunos.

A mãe revoltada, Shamica Neal, diz que foi uma atitude vexatória por parte da escola e que seu filho começou a sofrer com as chacotas dos colegas. Ela fez uma reclamação formal contra a secretaria da escola que fixou a imagem em um mural, alegando que o pequeno Ladarion sofreu danos morais e emocionais.

“Isso não tinha nada a ver com leitura”, disse Shamica. “Foi humilhante para ele por que os colegas tiraram sarro”.

Mães americanas brigam com as escolas dos filhos

Sem mais artigos