A maioria dos portugueses é contra a aplicação do acordo ortográfico e diz que não vai utilizar as novas normas, segundo pesquisa realizada pela empresa Aximage, sob encomenda do jornal português Correio da Manhã, o mais vendido no país.

Segundo o levantamento, 57,3% dos portugueses são contra as novas regras de ortografia e apenas 30,1% são a favor. Do total, 11% não são nem a favor e nem contra e 1,6% diz que não tem opinião a respeito.

A reação maior é na utilização das novas normas, em que 66,3% afirmam que não vão utilizar as normas resultantes do acordo, enquanto 22,1% dizem que pretendem escrever da maneira prevista pelo acordo. Apenas 4,8% declararam não ter opinião a respeito dessa questão e 6,8% querem utilizar as normas do acordo só em alguns casos.

“É um processo. Ninguém será obrigado a escrever automaticamente dessa maneira. Haverá um período de adaptação”, diz Rui Peças, assessor de imprensa do ministro da Cultura, segundo a BBC Brasil.

O ministro da Cultura de Portugal, José Antônio Pinto de Lima, anunciou em fevereiro que pretende iniciar a aplicação do acordo ainda no primeiro semestre deste ano e que em 2010 já haverá instituições do Estado usando as novas normas.

Em Portugal apenas três jornais estão utilizando as normas do acordo, dos quais só um tem circulação nacional: o esportivo Record.

Sem mais artigos