A secretária de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC), Maria do Pilar Lacerda, disse nesta segunda-feira (14) que a pasta ainda avalia a possibilidade de adiar a realização da Prova Brasil, prevista para ser aplicada entre os dias 19 e 30 de outubro. O pedido foi feito pela Frente Nacional dos Prefeitos (FNP) na semana passada. A entidade acredita que a prorrogação das férias em várias redes de ensino em função da epidemia da influenza A (H1N1) – gripe suína – pode prejudicar o desempenho dos alunos.


 


Mas, na avaliação de Pilar, o resultado da Prova Brasil não será afetado porque o exame avalia todo o conhecimento adquirido pelo aluno nos quatro primeiros e nos quatro últimos anos do ensino fundamental. “A prova avalia o conjunto da aprendizagem, não é o pontual. Ela não aborda conteúdos específicos, mas as habilidades adquiridas pelos aluno no conjunto dos anos”, afirmou.


 


A Prova Brasil avalia as competências de alunos do 5° e do 9° anos do ensino fundamental (antigas 4ª e 8ª séries) em língua portuguesa e matemática. É a partir do resultado desse exame que são construídos os principais indicadores educacionais, inclusive o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Ela é aplicada a cada dois anos. As edições anteriores foram em 2005 e 2007. Mais informações sobre a prova no site do MEC.


 


Pilar compara que a logística de aplicação da Prova Brasil, que ocorre nas próprias escolas, é bem diferente da do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Alguns colégios, especialmente particulares, pediram que o Enem também fosse adiado, mas, segundo o MEC, não havia condições em função da complexa logística da prova. O exame será aplicado nos próximos dias 3 e 4 de outubro a 4,5 milhões de estudantes em mais de mil municípios.

Sem mais artigos