Os documentos que foram entregues por Durval Barbosa à Polícia Federal indicam que festas e churrascos foram realizados com dinheiro público em uma casa usada pelo governador José Roberto Arruda (DEM-DF). Arruda utilizou o imóvel durante a campanha eleitoral de 2006.

De acordo com Barbosa, ex-secretário de Relações Institucionais e delator dos escândalos, até R$ 7 milhões de dinheiro desviado da estatal do DF que presidia, a Codeplan, foram parar na casa. Cerca de R$ 400 mil estão discriminados em recibos e notas fiscais datadas de outubro a dezembro daquele ano, segundo informações do jornal Folha de S. Paulo.

O responsável por administrar a casa de Barbosa era o “caseiro” Tales Souza Ferreira. Contratado para um cargo de confiança na Codeplan, Ferreira teria começado na empresa como motorista até subir rapidamente de posto. Ele foi o responsável por cobria gastos, que incluíam churrasqueiro, linguiça e coxinha de frango.

Segundo Barbosa, a Codeplan cobria gastos variados, da gravação dos programas de TV do DEM até festinha de fim de ano para funcionários da casa.

Mensalão do DEM pagava até churrascos de Arruda

Sem mais artigos