Nesta quarta-feira o Palmeiras completa 95 anos. E de roupa nova. Após vestir cinza em 2006 e adotar a fluorescente camisa cor de caneta marca texto em 2007, agora a equipe veste azul de quando em vez. Mesmo antes de o time estrear o novo uniforme, no sábado (dia 22) contra o Internacional, começaram a pipocar motivos – confirmados ou não pela diretoria do clube – para a escolha do azul. O VírgulaEsporte compila as cinco principais justificativas para o estranho look palmeirense.

1) Patrocinador manda
Na edição de julho, a revista Placar cravou: o uso do azul no então ainda não anunciado uniforme do Palmeiras tinha a ver com uma das cláusulas do contrato de patrocínio com a Samsung. Em comunicado, a diretoria palmeirense negou. Resta lembrar que não é a primeira vez que o patrocinador supostamente muda a cara da camisa palestrina. Ou alguém se esqueceu dos tons de verde sugeridos pela Parmalat na década de 90?

2) Sede da copa
Trazer a Itália para o estádio do Parque Antartctica é outro motivo que ronda a escolha. Aumentando os laços com os italianos, o Palmeiras receberia os treinamentos da azzurra durante a Copa do Mundo de 2014, no Brasil.

3) Origem italiana
Antes do terceiro uniforme azul chegar, era fácil trombar com torcedores trajando a camisa da seleção italiana. Nos dois casos, trata-se de uma homenagem às origens italianas do clube. O time, que carregou o nome de Palestra Itália entre 1914 e 1942, usou modelo parecido durante a década de 50. O escudo também é o mesmo: a cruz de Savóia, brasão oficial da família real italiana no século XIX.

4) Venda de camisas
É a justificativa mais óbvia. A aposta pela terceira vez em menos de três anos em tons que fogem do verde e branco do atual escudo palmeirense não é por acaso. O preço sugerido da nova peça é de R$ 199,90.

5) Dar sorte nas partidas
Depois de estrear com vitória trajando a camisa azul, não se assuste caso a torcida justifique o uso do uniforme com um lacônico: “dá sorte”. Basta emendar mais um par de vitórias para que comece a se falar na “invencibilidade com a novíssima camisa”.

Sem mais artigos