A taxa de mortalidade por gripe suína no Paraná é a maior entre todos os Estados do Brasil. Com 10,6 milhões de habitantes, o Paraná registrou 201 óbitos relacionados ao vírus Influenza A (H1N1), o que representa um índice de mortalidade de 1,88 pessoas para cada 100 mil habitantes.

Depois do Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo possuem as maiores taxas de mortalidade, com 0,96 e 0,57 mortes para cada 100 mil habitantes, respectivamente.

Segundo informações do Ministério da Saúde e das secretarias estaduais de Saúde, 687 pessoas que morreram no Brasil pela nova gripe. A taxa de mortalidade pela doença no país é de 0,35 mortes/100 mil habitantes. Juntas, as regiões Sul e Sudeste concentram 96,5% das mortes contabilizadas.

Para o diretor-geral da Secretaria de Saúde do Paraná, André Pegorer, a taxa elevada se deve ao fato de o Estado ter uma capacidade maior de identificar e notificar os casos de gripe suína. “Nós somos o Estado com o maior número de exames realizados, maior capacidade de investigação e notificação dos casos”, disse Pegorer, segundo reportagem do UOL Notícias.

A taxa paranaense supera a de muitos países – De acordo com dados do Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças, os países com as maiores taxas são a Argentina (1,15), o Chile (0,76), Costa Rica (0,72), Austrália (0,72) e Paraguai (0,64).

Paraná possui a maior taxa de mortalidade por gripe suína do Brasil

Sem mais artigos
Sair da versão mobile