O presidente do Banco Mundial (BM), Robert Zoellick, disse acreditar que a recuperação econômica demorará para chegar e que, quando isso acontecer, será “de baixa intensidade durante um tempo prolongado”, porque a indústria ainda não estará funcionando plenamente e o desemprego vai continuar subindo.


 


Em entrevista ao jornal espanhol “El País”, Zoellick declara que “ninguém sabe com certeza o que vai acontecer”, apesar de que haja quem defenda que já há “focos” de uma saída da crise.


 


Na opinião do presidente do BM, há um “elevado grau de incerteza” e muitos riscos, entre os quais cita o sistema financeiro americano, o qual “é preciso continuar saneando”, assim como o perigo do protecionismo e o aumento da dívida privada nas economias emergentes.


 


Zoellick também disse considerar como pouco provável a repetição de uma depressão como a vivida nos anos 1930, mas acrescentou que, “caso isso aconteça, seria terrível”, porque teria um custo social “imenso” principalmente nos países em desenvolvimento.

Sem mais artigos