Gigi Becali, proprietário do clube
Steaua Bucareste, foi acusado de fazer justiça com as próprias mãos
ao ordenar que seus seguranças sequestrassem ladrões que, em janeiro
passado, roubaram um de seus carros de luxo.

Por isso, o empresário foi levado hoje a depor perante a Polícia,
que o acusa do delito de “privação de liberdade”.

Segundo a Polícia, os seguranças sequestraram em plena rua três
pessoas, que foram trancadas no porta-malas de um dos carros de
Becali e levadas à sede do Partido Nova Geração (PNG), presidido
pelo empresário.

Os ladrões denunciaram à Polícia que foram sequestrados durante
três horas e agredidos pelos seguranças de Becali.

O próprio Becali exigiu aos três homens que deteve que
entregassem o carro roubado, que foi devolvido quatro horas depois.
Uma vez recuperado o veículo, o dono do Steaua não denunciou o
roubo.

O empresário, que não nega os fatos, assegurou que ofereceu café
aos ladrões e deu dinheiro a eles para que pegassem um táxi.

A revista de sua casa, feita hoje por policias, foi acompanhada
ao vivo por um grande número de jornalistas.

Enquanto a Polícia fazia seu trabalho, o polêmico dono do Steaua
lamentou que estivesse sendo tratado como a um criminoso por tentar
recuperar o que é seu, e se queixou indignado que os agentes
mascarados que entraram em sua casa assustaram sua idosa mãe.

Sem mais artigos