A prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal dos Transportes (SMT), já adotou uma série de medidas polêmicas para tentar melhorar o trânsito na capital paulista. Primeiro foram as regras para a circulação de caminhões e depois dos ônibus fretados. Agora, ela quer mexer nas regras dos táxis, para reduzir os preços e incentivar o uso em horários alternativos.

Hoje, quem precisa pegar um táxi em uma cidade como São Paulo sabe que uma “corrida” média raramente custará menos do que R$ 15,00. Por isso, surgiram propostas para reformular a política do sistema de táxi paulistano, que tem uma frota estimada em 32 mil carros.

De acordo com informações do jornal O Estado de S. Paulo, a ideia seria até mesmo de reduzir o valor das tarifas no horário de pico. No entanto, a principal mudança será para oferecer preços mais baixos nas noites de sexta-feira e sábado. A medida, que deve entrar em vigor no próximo mês, que incentivar a população a deixar o carro em casa para reduzir o número de acidentes.

O secretário dos Transportes, Alexandre de Moraes, disse ao jornal que a prioridade da SMT é colocar a iniciativa em vigor antes da chegada do final do ano, quando acontecem muitas festas e aumenta o consumo de álcool. “Infelizmente, muitas pessoas continuam bebendo e dirigindo”. Para encontrar a melhor forma de atender o interesse da população e dos taxistas, a secretaria contratou o Ibope com a população que pode ser beneficiada com a medida.

Os números da pesquisa contratada assustaram a secretaria, já que a metade dos entrevistados afirmou que consome bebidas alcoólicas aos finais de semana. Para piorar, 62% deste total costuma ir aos bares dirigindo o próprio carro.

O grande objetivo da SMT com essa mudança nas tarifas é gerar mais trabalho para os taxistas em um período de baixa procura e também oferecer condições para que os moradores da cidade respeitem a Lei Seca.

Preço elevado

A prefeitura afirma que a tarifa de táxi em São Paulo é a mais cara do país. Uma corrida de dez quilômetros custa, em média, R$ 28,70, sendo que no Rio de Janeiro esse valor é de R$ 19,16. O entendimento é que o alto valor faz com que a população se afaste do uso do táxi.

A proposta da SMT é de uma redução de 30% do valor da tarifa nas noites de sexta-feira e sábado. Com isso, o valor cobrado seria o mesmo da Bandeira 1, que atualmente é de R$ 3,5 a bandeirada mais R$ 2,1 por quilometro rodado. Atualmente, esse valor vigora de segunda-feira a sábado, das 6 às 20 horas. Já a Bandeira 2 tem o quilômetro rodado a R$ 2,73.

Resistência

Apesar da intenção da prefeitura de São Paulo, a medida deve enfrentar uma resistência dos taxistas. Essa é a opinião do Sindicato dos Taxistas Autônomos de São Paulo, Natalício Bezerra. Ele argumenta que a Bandeira 2 foi criada para incentivar os taxistas a trabalharem de noite, um período com mais riscos. Com isso a categoria seria prejudicada.

Além das mudanças que devem começar a valer em novembro, a SMT avalia também reduzir o valor nos horários de pico e realizar também algumas alterações operacionais, como criar pontos de táxi móveis, para dar mobilidade aos motoristas.

O secretário explicou que está em constante contato com os profissionais da área, já que sugestões de quem trabalha na “praça” ajudam a elaborar as novas regras. “Em média, os taxistas realizam cinco viagens ao dia. Com as mudanças, queremos dobrar esse número”.

São Paulo poderá ter táxi mais barato nas noites de sexta e sábado

Sem mais artigos