A Microsoft declarou na última quarta-feira (3) aquilo que já se sabia. A empresa admitiu que uma falha em seu navegador, o Internet Explorer, dá aos crackers liberdade para acessar arquivos em um PC, sob certas condições.

No início da semana o Google já havia informado que não teria mais suporte no IE6 para o Google Docs e o Google Sites, devido aos problemas de segurança que o navegador vem apresentando.

Com a decisão, o browser, lançado em 2001, ganha mais um empurrão rumo à obsolescência. A vulnerabilidade do IE é causada por renderizações incorretas de arquivos locais no navegador, afetando várias versões, que incluem o Internet Explorer 5.01 e IE 6 no Windows 2000, o IE 6 no Windows 2000 Service Pack 4, e IE6, IE 7, e IE 8 no Windows XP e Windows Server 2003.

De acordo com o comunicado da Microsoft feito ontem, os ataques ainda não foram checados pela empresa, que pretende decidir se irá reparar a falha por meio do seu ciclo mensal de patches de segurança ou com urgência, fora do ciclo de atualização.

Esta é a segunda vez que a Microsoft se posiciona sobre o assunto. No mês passado, a empresa afirmou que, devido a uma vulnerabilidade no IE 6, ataques foram feitos a mais de 20 empresas americanas, incluindo o Google, que acabou culpando a China. O problema já foi corrigido pela Microsoft.

Sem mais artigos