Uma mulher foi presa no Suriname por falsa identidade após supostamente ter alegado que era a cantora americana Toni Braxton em um aniversário na ex-colônia holandesa. Segundo a acusação, a sósia Trina Johnson-Finn teria convencido os organizadores da festa de que era a verdadeira Toni Braxton no início de março.

Seu assessor, entretanto, garante que as evidências que monstram a inocência de Johnson são claras, mas a sua cliente continua detida no Suriname, sem autorização para deixar o país.

Em entrevista à agência de notícias WENN, Johnson-Finn disse que é “completamente inocente”. “Fui contratada para fazer uma imitação em uma festa de aniversário”, ela declarou, insistindo que todos sabiam que ela era uma sósia.

Atacada com objetos voadores e acusações alegadamente equivocadas, a moça diz que há contratos, licenças comerciais e uma série de e-mails que provam sua inocência.

O marido de Johnson-Finn, Raymond, que acompanhou a esposa na ida à festa e foi preso junto com ela, também falou à WENN. “Minha mulher é uma vítima. Ela não tinha intenção de enganar ninguém e não teve qualquer envolvimento na divulgação e na publicidade do evento, além de não ter recebido nada por se apresentar nele”.

Raymond foi solto após duas semanas, mas Johnson-Finn permanece detida por tempo indeterminado. Sua família e amigos têm tentado fazer barulho junto a políticos norte-americanos para conseguir ajuda para a sósia.

Sem mais artigos