Um terremoto na região de Abruzos, norte da Itália, matou pelo menos 150 pessoas, nesta segunda-feira (6/4).

O número de vítimas originado pelo terremoto no centro da Itália chegará a “várias dezenas”, segundo informou a Efe Luca Spalletini, porta-voz do chefe do serviço de Defesa Civil italiano.

O porta-voz não pôde confirmar o número exato de vítimas, porque o serviço continua recopilando dados sobre as consequências do terremoto, e anunciou uma entrevista coletiva para o meio-dia (hora local). 

Povoados inteiros ficaram destruídos quase totalmente, segundo relatam testemunhas do terremoto de 6,3 graus na escala Richter que sacudiu esta madrugada o centro da Itália. 

Milhares de habitantes da província de Abruzos viram destruídos seus lares como consequência do terremoto que registrado hoje. 

“Há pânico. Há povoados destruídos quase em cheio. As mães, os filhos, as mulheres, saímos todos para fora de casa”, afirma um dos sobreviventes em declarações no jornal “Corriere della Sera” em seu site.

“Não sei quantas pessoas ficaram sob os escombros. Eu estava com minha mulher na cama no segundo andar. Na primeira estava minha mãe com meus filhos. Todos os tetos caíram. Não sei nem como conseguimos sair com vida”, acrescentou. 

Guido Mariani explicou ao jornal La Repubblica que permaneceu “durante três horas sob os escombros” e que “felizmente” duas vigas impediram que um muro caísse em cima dele. 

Mariani assegurou que os que o salvaram, retiravam os escombros com as mãos, mas não pôde dizer quanta gente estava sob os escombros no conjunto de casas no qual se encontrava. 

Natalia Amoroso, uma jovem estudante da cidade de Aquila (um dos lugares mais afetados) soube do ocorrido esta noite em seu povoado pelo testemunho de algumas companheiras. 

“Eu me encontrava esta noite em Lanciano, mas pude falar com duas amigas minhas do instituto e me disseram que só querem sair dali. Por enquanto não podem porque as ruas estão bloqueadas”, disse Amoroso à Efe. 

“Segundo me disseram, nosso instituto sofreu danos e há prédios que desabaram completamente”, acrescentou. 

O tremor se abateu sobre Loredana, também em Abruzos, onde se sentiu as portas dos armários baterem e as lâmpadas balançarem, declarou um morador à EFE.

Ele viu vizinhos que saíram à rua de pijama em plena noite perante o temor de que as réplicas pudessem se suceder.

Monumentos

Segundo fontes da Superintendência de Bens Arqueológicos, o local conhecido como Termas de Caracalla, em Roma, sofreu danos em decorrência do terremoto. Uma rachadura já existente foi agravada pelo incidente. Outro monumento que teve a estrutura danificada é a Basílica de Assis.

A Superintendência informou que outros monumentos da capital, como o Coliseu e o monte Palatino não sofreram danos.

Baixa Hits. A mais completa loja de Música digital da Internet está a um clique daqui!

Sem mais artigos