Que os games musicais foram uma das melhores sacadas do mercado
eletrônico nos últimos anos, ninguém duvida. Depois de guitarra,
baterias, microfones e diversos títulos inspirados em bandas, é a vez
da música eletrônica se misturar ao hip hop de forma magistral. Com um
controle mais complexo e músicas se “misturando” na tela, DJ Hero vai
além de tudo o que vimos até agora.
Quando nos deparamos com o controle em forma de pick-up, ainda não
tínhamos noção de como seriam utilizados todos aqueles botões. O
primeiro passo então foi seguir o tutorial guiado por Grandmaster
Flash, um dos inventores do scratch. Uma a uma, cada função do controle
e sinais que a tela exibe são explicados. Basicamente, deve-se
coordenar movimentos entre os três botões coloridos, a rotação do
disco, um crossfader, um botão de regulagem de efeito e outro apenas
para o acionamento das notas especiais. Fazer esses passos é
fundamental para não se perder na hora de jogar.
 
Crossfader
Para cunho de curiosidade, o crossfader é uma alavanca que se move
para esquerda ou direita. Movendo para um lado, apenas o som de uma
música da mixagem é executada. Movendo para o lado oposto, é a outra
que é ouvida. Deixando o crossfader centralizado, as duas faixas podem
ser ouvidas. O botão de regulagem de efeito funciona como uma espécie
de regulador de freqüência. Diminuindo a freqüência, o som fica grave.
Aumentando, as partes mais agudas se destacam. Ele também serve para
escolher algumas frases que podem ser inseridas durante a execução.
DJ Hero exige mais perícia e habilidade como jogador do que os jogos de
guitarra. Os games com guitarra, baixo e bateria também são difíceis
nos níveis Hard e Expert, mas há apenas os cinco botões e a alavanca
que simula a corda. Estamos falando de diversos movimentos e botões que
devem ser acionados simultaneamente, além de uma quantidade de
informações muito maior correndo junto com o disco na tela. Imagine ter
que apertar os três botões, fazer scratches na ordem correta, abrir e
fechar o crossfader e ainda usar o botão de regulagem de efeito na
mistura  “50 Cent featuring Mary J Blige ’Alll of Me’ vs Queen ’Radio Ga Ga’” ou “Gorillaz ’DARE’ vs Public Enemy ’Can’t Truss It’“, na dificuldade expert? Beira o impossível, mas com treino dá para fazer bonito.
 
Herança de Guitar Hero
Muitas coisas foram herdadas de Guitar Hero, e a Euphoria é uma
delas. Ela é o famoso “especial”, onde se levanta o braço da guitarra
para acionar o efeito especial que multiplica os pontos. O sistema é o
mesmo. Acertando a seqüência de notas diferenciadas, você carrega uma
porcentagem na barra. Ao acionar, sua pontuação é multiplicada por
dois. Acertando uma grande quantidade de notas, um símbolo de Rewind
(Voltar) é aceso na tela. Com ele acionado, é possível voltar o disco
em uma volta, marcando pontos e podendo executar um pequeno trecho da
música novamente.
O repertório é variado, e combina com o jogo, apesar de jogadores mais exigentes terem torcido o nariz diante do anuncio da lista oficial de músicas.
Música eletrônica e hip hop em peso, com levadas rock e pop se
misturando a elas em algumas oportunidades. Como já havia sido
anunciado, algumas faixas podem ser jogadas com uma guitarra em
parceria. Uma boa sacada dos produtores. O visual é excelente,
totalmente inspirado em baladas e casas noturnas reais. A riqueza de
cores, animações e ilustrações somam-se ao disco que reproduz os
comandos que o jogadores deve executar com qualidade.
 
Depois de algumas horas, o game torna-se um tanto cansativo, sensação
que pode diminuir se você jogar com amigos ou em ambientes festivos. A
sensibilidade do crossfader é algo difícil de se acostumar, fazendo
você passar do ponto diversas vezes. Mesmo sendo um tanto cansativo, DJ
Hero foi além de todos os games musicais no quesito jogabilidade. É
muito divertido acompanhar os movimentos da tela no controle, mais do
que na guitarra. O game abre um  leque de possibilidades para futuros
títulos, e é uma ótima opção de diversão para toda a família. Para os
fãs de jogos musicais, principalmente os que gostam de música
eletrônica e hip hop, é game ideal. O preço sugerido pela Synergex, que
distribui o jogo oficialmente no Brasil, é de R$ 729,90 pelo pacote
jogo + pick-up.
A editoria executiva do portal Virgula, Claudia Assef, que
também é DJ nos fins de semana, testou o jogo. Quer saber o que ela
achou? Assista ao vídeo abaixo:

Testamos o game DJ Hero, o mais novo herdeiro de Guitar Hero

Sem mais artigos