A Universidade Federal do Rio Grande (Furg) deverá prorrogar a data de divulgação dos resultados do vestibular 2009, inicialmente prevista para o dia 19 de janeiro, por causa do cancelamento das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Segundo a pró-reitora de Graduação, Cleuza Dias, a instituição vai aguardar o resultado do Enem que vale 50% da nota para o ingresso de candidatos na  Furg.


 


O Conselho Universitário (Consun) da Furg definiu que irá reavaliar e redefinir o peso do Enem no processo seletivo de 2010, baseado em um diagnóstico sobre os resultados locais e nacionais do processo seletivo. Quase metade do conselho já defendia que o Enem substituísse de forma integral o vestibular de 2010.


 


“O vazamento da prova não vai influir na credibilidade do Enem e nós vamos explicar isso aos alunos. Foi um fato lamentável, mas que não pode interferir na gestão do Ministério da Educação. É preciso lembrar que isso já aconteceu em outros concursos. É sempre um risco que se corre, mas a postura do ministro [da Educação] Fernando Haddad  foi inquestionável” avaliou Cleuza.


 


A Furg tem 8 mil alunos de graduação.


 


Na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) a diretoria deve se reunir no fim da tarde desta quinta-feira (1º) para avaliar a situação e definir se será necessário fazer um novo calendário para o processo seletivo. Na UFSC, o Enem vai compor 20% da nota do candidato. O vestibulando poderá optar por utilizar ou não a nota do exame no processo.


 


A Universidade Federal de Goiás (UFG) poderá deixar de usar a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como parte do processo seletivo. De acordo com a pró-reitora de Graduação da UFG, Sandramara Matias Chaves, essa proposta será levada ao conselho da universidade que deverá se reunir na próxima semana para decidir se vai manter a nota do Enem como parte da seleção deste ano ou se só vai adotar o exame a partir de 2010.


 


“O indicativo é de que a gente mantenha as datas do nosso vestibular considerando que um adiamento do vestibular causaria um efeito cascata no calendário acadêmico de 2010. Como o processo não foi realizado, consideramos que isso não vai trazer prejuízo ao candidato porque o vestibular será realizado normalmente,”, explicou Sandramara.


 


Ela disse ainda que o Enem teria um peso de 40% na nota da primeira fase do vestibular. O processo seletivo da instituição está marcado para 29 de novembro.


 


A pró-reitora afirmou que o furto da prova provoca um pouco de receio em relação à segurança do processo. “É claro que num processo como o Enem que envolve mais de 1800 municípios é um processo grande e que requer cuidados redobradas porque essas provas vão para todo o país e a questão da segurança é muito delicada num processo em que está em jogo vagas para universidades federais de todo o Brasil”, afirmou.


 


A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) informou, por meio de sua assessoria, que vai manter o Enem como nota da primeira fase do vestibular. A universidade considera que, caso as provas do Enem sejam realizadas daqui a 45 dias, como prevê o Ministério da Educação, o calendário acadêmico sofrerá atraso de 20 dias. Com isso as aulas da universidade teriam início em março, e não em 22 de fevereiro como previsto inicialmente.


 


As universidades federais e estaduais de São Paulo informaram que não deverão, em princípio, fazer alterações no cronograma de seus processos seletivos.


 


A Fundação Vunesp, que organiza o vestibular da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp) informou, por meio de nota, que vai aguardar pela definição da nova data da prova do Enem para se manifestar sobre possíveis mudanças no calendário do vestibular deste ano. Segundo a Vunesp, os candidatos a vagas nos cursos oferecidos pela Unesp serão informados com antecedência caso ocorra alguma alteração.


 


As provas da Unesp são divididas em duas fases: a primeira delas, que envolve uma prova de conhecimentos gerais, está marcada para o dia 8 de novembro. A segunda fase, composta de provas discursivas, será aplicada nos dias 20 e 21 de dezembro. Segundo a assessoria de imprensa da Vunesp, a nota do Enem tem o peso de 10% na nota final do processo seletivo, mas só em cursos em que não há prova de habilidade.


 


Também por meio de nota à imprensa, a Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest), responsável pelo vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), também informou que vai esperar pelo anúncio das novas datas de provas e da disponibilização das notas do Enem. Na Unicamp, a nota do Enem tem peso de 20% na primeira fase do processo seletivo.


 


“Caso seja constatado que não haverá tempo hábil para a utilização destas notas para a composição da nota de primeira fase do vestibular 2010, a Comvest aplicará o que está previsto no edital do vestibular 2010, que determina que, se não estiverem disponíveis para a Comvest até 30 de novembro de 2009, as notas do Enem 2009 não serão utilizadas para a composição da nota da primeira fase do Vestibular Unicamp 2010”, diz a nota.


 


Já a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) informou que vai manter o calendário previsto para o vestibular e que o adiamento do Enem não vai afetar o processo seletivo em nenhum dos dois modelos aplicados pela instituição: o unificado (que é o vestibular em fase única com a nota do Enem e que é aplicado em 19 cursos ministrados na instituição) e no misto (que computa a nota do Enem mais o resultado de uma prova e mais uma segunda fase de seleção e que é aplicado em sete cursos). Segundo a Unifesp, as provas da segunda fase serão realizadas nos dias 17 e 18 de dezembro deste ano e vão contar com questões de língua portuguesa, língua estrangeira, redação e conhecimentos específicos.


 


Na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), a assessoria de imprensa informou que, em princípio, não haverá alteração na programação do processo seletivo. A nota do Enem vale 50% da nota final do vestibular da instituição. Os outros 50% correspondem às provas que são aplicadas pela UFSCar.


 


A Fuvest, responsável pelo vestibular da Universidade de São Paulo (USP), pretende avaliar se o resultado da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será considerada e usada no processo seletivo que visa a preencher vagas para os cursos que são oferecidos pela instituição em 2010.


 


Por meio de nota, a reitoria da USP informou que, por causa do adiamento do Enem, a pró-reitoria de graduação e a Fuvest vão entrar em contato com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia vinculada ao Ministério da Educação, para verificar a possibilidade de compatibilizar os calendários e avaliar se a nota do Enem “será viável no Vestibular Fuvest 2010”. Segundo a USP, os candidatos vão ser informados antecipadamente caso ocorra alguma alteração.


 


O vestibular da USP é dividido em duas fases. Neste ano, a primeira fase, composta por 90 questões de múltipla escolha, está marcada para o dia 22 de novembro. Na segunda fase, prevista para os dias 3, 4 e 5 de janeiro do ano que vem, ocorrem três provas discursivas. A nota obtida no Enem pode ser usada na primeira fase do vestibular e pode também valer um bônus de 6% para o candidato que cursou todo o Ensino Médio em escolas públicas do Brasil.


 


A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) suspendeu temporariamente as inscrições para o vestibular 2010. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (1) na página da universidade na internet (www.ufrj.br). Segundo a nota, na sexta-feira (2) haverá uma reunião na Reitoria para definir a questão.


 


A Universidade Federal Fluminense (UFF), que tem a primeira fase do vestibular marcada para o dia 15 de novembro, emitiu nota dizendo os candidatos inscritos não terão prejuízo, mas que vai aguardar o posicionamento do MEC sobre a nova data do Enem para adotar os procedimentos necessários.



ENEM



O Ministério da Educação (MEC) cancelou nesta quinta-feira (1º) a realização do Enem, marcado para o próximo fim de semana, por causa do vazamento do conteúdo da prova.


 


As provas do Enem seriam aplicadas nos próximos dias 3 e 4 em 113.857 salas de 10.385 escolas diferentes. Cerca de 4,5 milhões de candidatos se inscreveram no exame. A partir deste ano, o Enem é requisito para a entrada em pelo menos 40 universidades federais, além de ser necessário para quem disputa uma bolsa do Programa Universidade para Todos (ProUni).



 

Universidades se pronunciam sobre o cancelamento das provas do Enem

Sem mais artigos