Você é daqueles que sempre quando sai de casa leva o iPhone e esquece a carteira? Se a sua resposta for sim, é hora de começar a se preocupar. Uma pesquisa da Universidade de Stanford confirmou que o aparelho pode causar dependência em seus usuários e revelou números pra lá de estranhos.

 

Dos 200 estudantes entrevistados, existem aqueles (3%) que não deixam ninguém tocar seu iPhone, outros (3%) que apelidaram o seu próprio aparelho e até mesmo os (9%) que admitem já terem feito carinho nele. Maluquice demais pra você? Calma, há ainda os 8% que confessaram já ter pensado “meu iPod está com ciúmes de meu iPhone”. Heim?

 

O estudo, que pedia para os alunos classificarem sua dependência em uma escala de um a cinco, apontou que 10% admitiu ser totalmente dependente, enquanto 34% julgou estar no quarto lugar da escala de dependência e 32% se mostrou preocupados em ficar viciados no aparelho um dia.

 

Esquisitices a parte, a pesquisadora responsável pelo estudo diz não acreditar que seja algo totalmente nocivo, já que o uso do aparelho trouxe benefícios para muitos estudantes. Mais de 70% dos entrevistados disseram que o iPhone os fez mais organizados e 74% acreditam que tornaram-se mais produtivos. Além dos 74% que confessaram se sentir mais “descoladados” depois que adquiriram o smartphone da Apple.

 

Os especialistas ainda não sabem se dependência de tecnologias como a Internet e aparelhos eletrônicos pode ser qualificada como um transtorno. Mas, convenhamos, carinho já é demais, não?

Sem mais artigos