Os passageiros que utilizam ônibus fretado em São Paulo chegaram ao trabalho com um atraso médio de 45 minutos nesta segunda-feira (27), dia que entrou em vigor a Zona Máxima de Restrição de Fretamento (ZMRF).

A ZMRF limita a circulação de ônibus fretados na região central de São Paulo em uma área de 70 quilômetros quadrados de segunda a sexta-feira, das 5h às 21h. Ao longo dessa região, a Prefeitura criou 13 bolsões de embarque e desembarque de passageiros.

A contadora Bianca Paulina, de 30 anos, disse que perdeu bastante tempo apenas para conseguir desembarcar no bolsão da região da Avenida dos Bandeirantes. “Fiquei vinte minutos só nessa confusão”, disse Bianca ao portal G1.

Além de perder tempo, passageiros precisaram caminhar para chegar nas estações do metrô e nos pontos de ônibus. “Terei de caminhar mais 1 km de noite até o bolsão, quando sair do trabalho”, finalizou a contadora.

Desconforto e falta de segurança podem resultar na diminuição do número de passageiros dos fretados e no aumento da quantidade de carros nas ruas da capital paulista.

“Se continuar assim, irei de carro”, disse a tecnóloga financeira Débora Biazzin, de 27 anos. “Serão muitos carros a mais na rua”, disse Débora ao G1.

Sem mais artigos