A sexta ediçao da Virada Cultural começa às 18h deste sábado (15) com mais de mil atrações, em um evento que recebeu um investimento de cerca de oito milhões de reais.

Embora o evento sempre venha atrelado a problemas como superlotação (em 2009 a Virada teve cerca de 4 milhões de pessoas e focos de tumulto), acúmulo de lixo e dificuldade de conciliar os horários de vários shows simultâneos, a Virada Cultural é uma boa oportunidade para conferir diversos shows de qualidade em um curto espaço de tempo – e sem desembolsar um centavo.

Assim como em todos os anos, as linhas 1,2 e 3 do metrô funcionarão durante toda a madrugada, então não é preciso se preocupar com transporte – além disso, grande parte diversos palcos do evento estarão no Centro da cidade, facilmente acessíveis a pé.

Entretanto, mesmo com uma programação que contempla diversos estilos musicais, a Virada Cultural 2010 mandou mal em relação ao rap – ao contrário dos demais estilos, que têm suas atrações localizadas no centro da cidade, o rap foi deslocado para a periferia com uma programação reduzida. Em 2010, se apresentam apenas artistas como Rappin Hood, Emicida e Z’África Brasil, todos com shows marcados em CEUs.

Para que você consiga se programar dentro da extensa lista de apresentações da Virada Cultural 2010, o Virgula Música traz dicas dos jornalistas da redação para que você se divirta e aproveite a oferta de atrações. Aproveite também para dar a SUA dica de atração nos comentários!

Confira abaixo as nossas dicas (e clique aqui para ver a programação completa):

Denis Moreira, editor de Diversão – Apesar de ser difícil escolher o que fazer na Virada Cultural (tem muita coisa!), recomendo os seguintes programas: o show do Black Drawing Chalks na Cásper Líbero (21h30), Booker T (23h) na São João e a homenagem que as Velhas Virgens farão a Adorinan Barbosa.

Mas o essencial é largar tudo que você estiver fazendo e ir correndo ver os americanos do Living Colour na Julio Prestes (3h). Um dos ícones do rock no fim dos anos 80, os americanos costumam fazer shows sensacionais – e, no ano passado, lançaram o excelente disco The Chair in the Doorway.

Evelyn Jardim, produtora de rádio – Sem dúvida, assistir Toquinho (12h na Praça Júlio Prestes) na Virada Cultural é levar ao pé da letra a proposta do evento: passar bons momentos ouvindo música de qualidade. Outra atração imperdível deste ano é o Baile do Simonal (23h, na Praça da República), comandado pelos filhos do saudoso cantor Wilson Simonal, Wilson Simoninha e Max de Castro.

Luiz Filipe Tavares, repórter de Música – Claro que me deparei com shows da Virada 2010 no mesmo horário, mas mesmo assim deu pra fazer uma listinha enxuta e imperdível do que vale mais a pena no evento. Às 19h tem a genial Orquestra Brasileira de Música Jamaicana na Rua Barão De Limeira, depois dá tempo de ver o excelente Black Drawing Chalks às 21h30 no palco da Casper Líbero. Ali do lado, no Anhangabaú, o soulman Booker T toca às 23h. Depois ainda tem a belíssima Céu na Julio Prestes à meia noite e a minha favorita da Virada, a Orquestra Popular de Frevo do Recife às 3 da manhã no Anhangabaú. Pra quem ainda tiver ânimo, no final tem Pequeno Cidadão (15h30) lá na Avenida São João.

Clarice Machado, editora de Imagens – Acho que vale a pena dar um rolê pela Barão de Limeira se você curte som jamaicano como eu. Também tem a Galeria Prestes Maia, com coisas de tattoo e lifestyle mais radical – em um especial com muita suspensão e DJs. Na Praça Cívica Ulísses Guimarães tem encontro e exposição de carangos antigos, e quem tem paixão pela coisa ou por todo o universo retrô tem que ir lá!

Jean Felipe, repórter de Música – Para quem ouvir rock pesado e ainda não ficou surdo com os shows do Black Drawing Chalks, L.A. Guns e Living Colour no dia, uma boa pedida é o Krisiun. A banda gaúcha de death metal começará sua “carnificina” as 5h30 no palco Rock, localizada da Av. São João, no centro. Para os corajosos, a espera pelo evento será recompensada com o som brutal dos irmãos Alex Camargo, Moyses Kolesne e Max Kolesne. Booker T, Big Youth, Hermeto Pascoal e Galinha Preta também valem uma visita a Virada Cultural.

Thyago Gadelha, repórter de Diversão – Eu iria na Céu, porque ainda não tive oportunidade de ver um show dessa nova turnê. Gostei muito do disco dela, Vagarosa! Eu fugiria do Buena Vista Social Club, por ser enganação (o show da Virada contará apenas com dois integrantes do grupo). Iria por curiosidade no Elymar Santos, Luis Caldas e Double You. Com espírito fanfarrão, é claro!

Flávia Durante, editora de Mídias Sociais – Esse ano só saio da sensacional programação de musicais do Cine Arouche pra ver o Baile do Simonal e o Booker T. Infelizmente os dois shows são no mesmo horário, sábado às 23h! Se alguém descobrir a fórmula da clonagem até sábado me avisem, por favor!

Vitor Angelo, editor de Famosos – Não vou porque a Virada Cultural expulsou o hip hop do centro da cidade. É um absurdo o rap ficar só na periferia e não aparecer no restante da programação!

Luiz Antonio Teixeira, repórter de Esportes – Show do Arlindo Cruz na Praça da República, no domingo (16), às 15h, é a dica da editoria de esportes para a Virada Cultural de 2010, em São Paulo. Além dos antigos sucessos e do extenso repertório do ex-integrante do grupo Fundo de Quintal, a apresentação ainda terá as recentes canções Chegando ao Fim, Bom Aprendiz e Amor à Favela, que fazem parte do DVD Ao Vivo gravado em parceria com a MTV.

Tiago Agostini, editor de Home – Para não perder: o show de Céu na Praça Júlio Prestes, à 0h. Dona de um dos melhores discos do ano passado, Vagarosa, a cantora Céu mostra seu show suingado e cativante. Outro destaque são os palcos da Cásper Líbero, que trazem vários nomes importantes do cenário independente atual – destaque para os show de Tulipa Ruiz, Karina Buhr, Caldo de Piaba, Black Drawing Chalks, Galinha Preta e Nervoso e os Calmantes. Outro bom show é o de Arnaldo Antunes na Avenida São João, às 15h30 de domingo – o cantor fez o álbum mais pop de sua carreira solo no ano passado e está com uma banda afiada, que tem como grande destaque o guitarrista Edgar Scandurra.

Momento antropológico: Raimundos às 13h30, na Avenida São João: maior banda de rock brasileira dos anos 90, o Raimundos se apresenta com o cantor Tico Santa Cruz nos vocais. Eles podem não ter mais o vigor e relevância de outrora, mas vale a pena para ver o que virou um dos shows mais divertidos do rock brasileiro.

Stefanie Gaspar, repórter de Música – Embora a programação de 2010 esteja mais fraca, acho que algumas apresentações prometem valer o esforço que é sobreviver ao centro de São Paulo durante a Virada: o show da talentosa cantora Céu meia-noite na Praça Júlio Prestes, seguido pela apresentação do Living Colour no mesmo palco. A programação da Cásper Líbero também vale a pena, com shows de Tulipa Ruiz às 22h20 e Karina Buhr às 13h20.

Camilo Rocha, editor de Música – É sempre complicado apontar uma atração na Virada. Apesar do lineup dessa estar bem mais fraco que o ano anterior, tem bastante coisa interessante. Vou indicar duas coisas então. A primeira é o jamaicano Big Youth (Palco Barão de Limeira, domingo, 17h), um dos pioneiros do dub lá dos anos 70. Não sei como anda o show do tio, mas vale conferir só pelo legado musical dele. A outra boa é o veterano DJ inglês Ashley Beedle, craque na pegada disco/house, que faz um set no fim de tarde do sábado no jardim do Mube/MIS, a partir das 16h.

Aproveite também para conferir um guia de teatro e de cinema da Virada Cultural!

- Céu na Praça Júlio Prestes, à 0h: dona de um dos melhores discos do ano passado,
Vagarosa, a cantora Céu mostra seu show suingado e cativante.



- Palcos da Cásper Líbero: escalação com vários nomes importantes do cenário
independente atual. Destaque para os show de Tulipa Ruiz, Karina Buhr, Caldo de
Piaba, Black Drawing Chalks e Nervoso e os Calmantes.



- Arnaldo Antunes na Avenida São João, às 15h30 de domingo: o cantor fez o álbum
mais pop de sua carreira solo no ano passado e está com uma banda afiada, que tem
como grande destaque o guitarrista Edgar Scandurra. Preste atenção nas músicas
"Longe" e "A Casa é Sua".



Momento antropológico: Raimundos às 13h30, na Avenida São João: maior banda de rock
brasileira dos anos 90, o Raimundos se apresenta com o cantor Tico Santa Cruz nos
vocais. Eles podem não ter mais o vigor e relevância de outrora, mas vale a pena- Céu na Praça Júlio Prestes, à 0h: dona de um dos melhores discos do ano passado,
Vagarosa, a cantora Céu mostra seu show suingado e cativante.



- Palcos da Cásper Líbero: escalação com vários nomes importantes do cenário
independente atual. Destaque para os show de Tulipa Ruiz, Karina Buhr, Caldo de
Piaba, Black Drawing Chalks e Nervoso e os Calmantes.



- Arnaldo Antunes na Avenida São João, às 15h30 de domingo: o cantor fez o álbum
mais pop de sua carreira solo no ano passado e está com uma banda afiada, que tem
como grande destaque o guitarrista Edgar Scandurra. Preste atenção nas músicas
"Longe" e "A Casa é Sua".



Momento antropológico: Raimundos às 13h30, na Avenida São João: maior banda de rock
brasileira dos anos 90, o Raimundos se apresenta com o cantor Tico Santa Cruz nos
vocais. Eles podem não ter mais o vigor e relevância de outrora, mas vale a pena
para ver o que virou um dos shows mais divertidos do rock brasileiro.

para ver o que virou um dos shows mais divertidos do rock brasileiro.

Virada Cultural: Confira dicas do Virgula com o melhor da programação!

Sem mais artigos