O vulcão chileno Llaima, que voltou a entrar em erupção na sexta-feira (03/04), expeliu uma coluna de gases e cinzas de mais de sete mil metros de altura e 100 quilômetros de extensão, segundo informaram fontes do governo neste domingo (05/04).

Segundo o Serviço Nacional de Geologia e Mineração chileno, 71 pessoas já foram evacuadas de Vilcún e de Curacautín, localidades próximas ao Llaima, cuja atividade obrigou no sábado (04/04) as autoridades a decretar alerta vermelho em oito municípios próximos.

A decisão foi tomada por causa dos riscos associados aos deslizamentos do barro resultante da mistura de cinzas vulcânicas e escombros com água, os quais podem provocar um aumento do volume do rio Calbuco.

Situado a cerca de 600 quilômetros ao sul de Santiago, o Llaima intensificou sua atividade a partir de maio de 2007 e é considerado um dos vulcões mais ativos da América do Sul.

Com 3.210 metros de altitude, o vulcão teve um aumento em suas atividades durante a noite de sábado, conforme atestaram membros do Serviço Nacional de Geologia e Mineração que realizaram ontem um sobrevoo sobre a área do Llaima.

De acordo com o Escritório Nacional de Emergências chileno, as chuvas deste domingo na região impedem que haja uma visão propícia da situação do Llaima.

Sem mais artigos