Começou hoje, na China, o considerado maior vestibular do mundo, com 9,5 milhões de participantes. Segundo informações da China Radio International, este ano, houve uma redução no número de inscritos e aumento da quantidade de vagas. Com isso, a taxa de aprovados deve ser de quase 70%. Em algumas regiões como Beijing e Shanghai, a taxa será superior a 80%.

Com tanta gente empenhada no processo, há até um movimento de silêncio oficial nas cidades onde ocorrem as provas. De acordo com reportagem da China Radio International, os canteiros de obras na China procuraram abafar as perfurações, nesta segunda-feira, assim como os motoristas evitaram buzinar. A idéia era “dar tranquilidade e paz ao vestibular”. O governo chinês mobilizou a polícia para patrulhas constantes e expulsou os camelôs das proximidades dos locais dos exames.

Mas não foi apenas o poder público que se empenhou na tarefa. Cidadãos comuns também se envolveram no que em chinês é chamado “gaokao”, a única oportunidade para os estudantes secundários ganharem uma vaga em universidades, diz a reportagem da China Radio.

Um médico aposentado, de 66 anos, ficou do lado de fora de uma das escolas onde está sendo realizado o vestibular, com sua caixa de primeiros socorros e medicamentos. “Trago remédios gratuitos para os estudantes que precisarem”, disse ao jornalista.

Uma empresa de automóveis distribuiu garrafas de água e leques para os pais que estavam aguardando fora da escola. “Minha empresa faz isto de graça. Estamos contentes de fazer algo para os estudantes e seus pais”, disse o representante da empresa, que também transporta gratuitamente os vestibulandos.

As provas do maior vestibular do mundo terminam na quarta-feira. Até 2020, a porcentagem dos alunos universitários entre os jovens com idade adepta deve atingir 40%, informa a China Radio International.

Sem mais artigos