O Parlamento da Catalunha proibiu hoje as touradas nessa região do nordeste espanhol a partir de 1º de janeiro do 2012.

Com 68 votos a favor, 55 contra e nove abstenções, a Câmara Regional Catalã deu sinal verde à Iniciativa Legislativa Popular (ILP) – avalizada por 180 mil cidadãos – que pedia a proibição, considerada uma das marcas culturais da Espanha.

Trata-se da segunda região espanhola a proibir os festejos taurinos. A primeira foi a das ilhas Canárias (no Atlântico) que instituiu uma lei de proteção de animais em 1991.

A votação de hoje em uma sessão histórica na Câmara regional, formada por 135 parlamentares, coloca fim a um processo que iniciou em novembro de 2008 e gerou grande expectativa social, política e da mídia, acompanhado sempre pelo olhar atento dos países com tradição taurina como Equador, Colômbia, França, México, Peru, Portugal e Venezuela.

A Iniciativa Popular Legislativa (ILP), que pedia o veto da lida, foi promovida pela plataforma Prou! (Basta!) em defesa dos animais, enquanto o espetáculo taurino como manifestação artística tradicional é um dos argumentos mais generalizados entre os defensores.

A supressão das touradas afetará, a partir de 1º de janeiro de 2012, somente à Praça de Touro Monumental de Barcelona.

Apesar de só estar vigente em Barcelona, na Catalunha, uma das regiões mais ricas da Espanha, existem outras tradições com touros, como os “correbous” – espetáculos de rua com touro, onde os animais têm fogo ateado aos chifres, mas não são sacrificados.

Com a decisão do Parlamento da Catalunha, abre espaço para a incerteza sobre o futuro das corridas em um país onde a tourtada está identificada por amplos setores sociais como “Festa Nacional”.

Sem mais artigos