Começará em março a campanha brasileira de vacinação contra a gripe suína, doença causada pelo vírus Influenza A (H1N1) e que é tratada como pandemia pela Organização Mundial de Saúde, uma vez que já causou a morte de 1.705 pessoas no Brasil (que já registra quase 40 mil casos), e de um total superior a 14 mil pessoas ao redor do planeta.

O governo comprará um total de 83 milhões de doses, e terão prioridade na vacinação crianças com idades entre seis meses e dois anos, adultos entre 20 e 29 anos, indígenas, trabalhadores da área da saúde, gestantes e brasileiros com doenças crônicas. Para quem não está incluído em nenhum dos grupos, a imunização não é recomendada.

Inicialmente (entre 8 e 19 de março), receberão as doses os indígenas e quem trabalha com áreas diretamente ligadas à pandemia, aparecendo na sequência (entre 22/03 e 21/05, quando ocorrerão a segunda, a terceira e a quarta etapas) grávidas (até o início de abril), doentes crônicos e crianças com até dois anos. Entre as doenças, estão obesidade mórbida, diabetes, doenças renais, respiratórias, cardíacas e hematológicas.

Os brasileiros com idades variando entre 20 e 29 anos receberão a vacina entre 05 e 23 de abril, aparecendo na sequência (entre 24 de abril e 7 de maio) idosos com 60 anos ou mais, desde que tenham doenças crônicas. Para adquirir as doses, o governo vai gastar  R$ 1,006 bilhão, dinheiro ligado ao Programa Nacional de Imunização, do Ministério da Saúde.

Sem mais artigos