Elisany Cruz Silva, de 15 anos, é considerada a adolescente mais alta do mundo. A garota mal debutou e já tem 2,06 metros!

Depois de ser descoberta em uma comunidade de pescadores em Ajuruteua, Pará, por jornais e emissoras de televisão da região Norte do Brasil, a garota virou um sucesso na internet. Graças aos vídeos no YouTube que acumulam milhares de visualizações e artigos em sites estrangeiros a menina virou sensação em pouco mais de dois meses.

Especula-se que ela seja a adolescente mais alta do mundo e que tenha recebido convites para desfilar, mas nada disso se confirmou até agora.

Filha de uma família humilde, Elisany sofre com a cama curta, com a porta baixa demais e até com o ônibus escolar pequeno, que fez com que ela tivesse que abandonar a escola. Nem brincar com as amigas da mesma idade ela consegue.

Além dos problemas em situações do cotidiano, Elisany sente dores nas pernas e na cabeça, e continua crescendo. Sem condições de acompanhamento médico constante, a menina não pode fazer exames fundamentais para descobrir a causa do crescimento anormal.

Médicos da região suspeitam que Elisany tenha um tumor na glândula hipófise, que causaria o distúrbio hormonal do crescimento. Chamado de gigantismo acromegálico, o problema só foi registrado 200 vezes na literatura médica, e pode causar outros problemas, como perda de visão.

A relativa fama que a televisão e a internet proporcionaram fizeram com que ela aceite melhor sua condição. “Agora, eu gosto de ser uma garota alta. Chama a atenção das pessoas. Todas as pessoas me olham, tiram fotos, filmam…”, disse ela em entrevista recente.

Só para ter uma idéia, a média para adolescentes brasileiras com 15 anos é de 1.51 metros. Ou seja, 55 centímetros a menos do que Elisany tem hoje.

Abixo, um vídeo da Reuters, que foi usado também pela NBC, e mesmo em inglês dá para ouvir um pouco da opinião de Elisany:

 

Sem mais artigos