O apartamento de James Holmes, autor do massacre cometido em um cinema de Aurora, no Colorado, que terminou com 12 pessoas mortas, “estava desenhado para matar quem entrasse”, disse hoje em entrevista coletiva o chefe de polícia da cidade, Dan Oates.

 

 

Segundo o policial, o objetivo de Holmes, que preparou um complexo e sofisticado conjunto de armadilhas explosivas em seu apartamento, era matar e “o mais provável é que a vítima fosse um policial, que eram os que poderiam ter entrado” no imóvel.

Oates afirmou que a polícia acredita que já eliminou “as principais ameaças no apartamento”, mas que ainda podem existir riscos.

O chefe da divisão de Denver do FBI, Jim Yacone, disse que o esquadrão antibomba encontrou “um ambiente extremamente perigoso”, como um cabo conectado da porta a vários dispositivos, e por isso “qualquer um que tivesse aberto a porta poderia ter morrido ou ficado gravemente ferido”.

O sofisticado sistema de cabos e detonadores do apartamento de Holmes fez com que mais de 100 agentes demorassem mais de 24 horas numa lenta e cautelosa operação, na qual tiveram que recorrer a uma pequena explosão controlada e até o uso de um robô.
Holmes comprou pela internet uma grande quantidade de material explosivo nos últimos quatro meses, incluída munição, disse o chefe de polícia de Aurora, que fica nos arredores de Denver.

Com a ajuda do FBI, os investigadores reconstruíram parcialmente os hábitos de compra de Holmes, descobrindo os lugares nos quais ele comprou armas e munição e os locais de entrega das compras (seu apartamento e trabalho).

Sem mais artigos