O artesão David Rees descobriu uma profissão atípica: apontador de lápis. Ele aponta e afia cada lápis manualmente e envia de volta para o cliente.

Junto com o lápis apontado vão os restos mortais da ponta antiga e um certificado de autenticidade. O atestado chama atenção até para a periculosidade do objeto, que fica tão afiado que pode furar algum escritor desavisado.

David Rees, de Nova York, afirma que não se trata de uma piada, mas admite que seu ofício pode trazer risadas.

Em seu site, Rees conta que deixou a carreira como cartunista político de lado para se dedicar ao seu sonho e viver em meio à suas paixões: apontadores e lápis n°2.

Você pode mandar seu lápis para Rees por correio ou encomendar um lápis inteiramente novo que será fornecido pelo próprio artista.

O trabalho dele é artesanal, criando pontas para lápis que podem ser utilizadas no dia-a-dia. Não são como as pontas artísticas criadas por Dalton Ghetti, que cria mini-esculturas na ponta dos lápis.

Apontador artesanal de lápis é profissão nos EUA

Sem mais artigos