O jovem estudante Giovane Nalin, de 11 anos, está perdendo a fé nas instituições deste país. Ele é alvo de piadinhas na escola em que estuda. Tudo porque participou de um concurso da Prefeitura de Araraquara e foi o autor da redação premiada, escolhida entre centenas de outras. Só que, após passado mais de um ano da realização do concurso, o pequeno Giovane já quase não tem mais esperança de que ganhe a bicicleta conquistada.

O concurso aconteceu em março de 2012, com premiação prevista para o mês seguinte. O tema era a dengue. Aplicado, Giovane se empenhou por três dias para escrever um texto bacana. Fez em forma de poema. O que era para ser um estímulo para o escritor-mirim, passou a ser uma decepção sem tamanho.

“Isso não se faz. Ele é só uma criança”, assinala ao site “Araraquara.com”, indignada, a mãe do menino, a doméstica Carina Sanga Nalin, 36.

Ela conta que procurou a Prefeitura e a Câmara de Vereadores, mas justificaram a ausência do prêmio dizendo que era ano político. Assim, o menino segue cabisbaixo, esperando o prêmio prometido. Deveriam aproveitar o episódio e inventar uma multa bem grande para prefeituras que enganam pequenos escritores inocentes.

Araraquara: Menino ganha concurso, mas Prefeitura não dá o prêmio

Sem mais artigos