Médicos britânicos extraíram do estômago de uma mulher uma caneta engolida por engano há 25 anos, e o mais impressionante é que o objeto ainda escreve, segundo um relatório da revista científica “British Medical Journal“.

Há 25 anos, a mulher – hoje com 76 anos – usava uma caneta em frente ao espelho para observar pontos brancos em suas amígdalas. O utensílio deslizou acidentalmente para dentro da garganta e foi engolido.

Os exames de raio-X feitos na época não mostravam nada. Por isso, ninguém acreditou na história contada por ela e a caneta permaneceu hospedada em seu estômago até agora.

Neste ano, um novo exame conseguiu detectá-la. O objeto foi extraído por meio de um procedimento endoscópico que exigiu anestesia geral.

Os médicos se surpreenderam ao comprovar que a caneta ainda escrevia. Eles anexaram ao relatório, que enviaram à revista científica, uma imagem que mostra a palavra “Hello” (“Olá”) escrita em um papel com o utensílio extraído.

Apesar de pontiaguda, a caneta não causou danos ao estômago da mulher ao longo desses anos.

“Os exames de raio-X aplicados à região abdominal podem não detectar objetos de plástico que tenham sido ingeridos. Por isso, em algumas ocasiões, é preciso confiar na palavra do paciente, por mais estranho que possa parecer o que conta”, conclui o artigo.

Caneta alojada no estômago de uma mulher por 25 anos ainda escreve

Sem mais artigos
Sair da versão mobile