Em Indianapolis, nos EUA, uma criança com o crânio em forma de trevo de três folhas teve que passar por uma cirurgia pioneira de emergência para evitar que seu pequeno cérebro fosse esmagado. Kaydence Theriault teve seu cérebro transformado por uma equipe de cirurgiões.

Os especialistas reuniram-se no Hospital Infantil de Peyton Mannin para realizar a delicada operação. Kenneth Salyer, renomado especialista, participou do procedimento, que aconteceu em maio de 2010, e durou oito horas e meia.

O neurocirurgião Ronald Young disse que era preciso tirar o osso e colocá-lo novamente de forma diferente. “Estávamos trabalhando sobre um vaso sanguíneo muito grande. O cérebro estava exposto a uma possível infecção ou danos durante a cirurgia”, lembra o especialista.

Mas tudo correu bem e Kaydence teve uma recuperação incrível, apesar de ter tido sua cabeça reformulada aos dois meses de idade. Com a ajuda de microcirurgias de acompanhamento, Kaydence, agora com quase quatro anos, está praticamente irreconhecível.

A mãe, Bobbie Jo Theriault , de 38 anos, conta ao site do “Daily Mail” que, quando Kaydence nasceu, ninguém sabia se ela iria sobreviver.  A família tem uma síndrome genética rara, a Síndrome de Crouzon. A maioria das crianças que nasce com a condição precisa de uma cirurgia antes dos 18 meses de idade para separar o crânio antes que ele se funda. 

Mas a condição de Kaydence era tão grave que os ossos já estavam se unindo pouco depois do nascimento, empurrando a cabeça de forma estranha na parte superior e nos lados, como em um trevo.

O irmão mais velho de Kaydence, Jayden, de oito anos, e Taylor e Kaylin, trigêmeos com Kaydence, também têm a síndrome, herdada da mãe por seu pai. Mas é uma forma mais branda, que exigiu cirurgias corretivas de pouca complexidade. 

Sem mais artigos