Uma adolescente britânica ajudou a roubar R$ 450 mil de um banco e usou o dinheiro para comprar roupas e sapatos de grife. Aamna Aliani, de 18 anos, junto com os cumplices Derrick Mensah, 20, e David Kwarteng, 27, roubaram informações confidenciais do cartão de crédito e débito de 22 clientes de um banco britânico e, assim, conseguiram a pequena fortuna.

O dinheiro, no entanto, foi gasto em sapatos Christian Louboutin, roupas Dolce & Gabbana e dezenas de bolsas e acessórios de outras marcas caríssimas como Gucci e Prada. Aamna ainda usou o dinheiro para se matricular em uma academia e encomendar um bolo de aniversário em formato de uma bolsa Louis Vuitton. 

Segundo o “Daily Mail”, os crimes aconteceram durante o ano de 2011 e foram desvendados em 14 de maio daquele ano, quando a policia suspeitou de Kwatreng, que estava em um BMW esperando por Aamna na porta de uma loja de grife em Londres. Ela tinha comprado duas bolsas no valor de R$ 3.390 e ainda tinha R$ 2.580 em notas dentro de uma delas. No carro também foram encontrados cinco pacotes recheados com um total de R$ 38.400, além de várias roupas de grife. 

“Um cartão de memória cheio de informações bancárias relativas a números de contas diferentes foi encontrado com um dos rapazes. As informações incluíam data de nascimento, endereços e dados confidenciais como senhas”, explicou uma fonte policial. 

O método utilizado pela quadrinha, conforme as autoridades locais, era sempre o mesmo. Ligavam para o titular da conta dizendo que era necessário fazer um recadastro de endereços e telefones, e informando que o cartão do cliente estava danificado e seria enviado um novo. O cartão, então, era usado para fazer compras de bens de luxo ou retirar dinheiro. 

Esta semana os criminosos foram condenados a um ano de prisão, mais dois anos de condicional e 240 horas de trabalho voluntário. Segundo o juiz responsável pelo caso, Aamna, que na época dos crimes tinha apenas 16 anos, teve o papel mais grave entre os três réus, já que foi ela quem mais usou os cartões. 

Em sua defesa, o advogado James McCrindell disse que ela deve ser encaminhada a uma reabilitação. “No início de sua conduta criminosa, ela tinha apenas 16 anos. Agora ela está com 18, olha para trás e vê sua má conduta e percebe que seguiu o caminho errado. Aamna reconhece e aceita a responsabilidade e diz que só pode culpar a si mesma. É jovem e boa pessoa”, garante o defensor. 

Sem mais artigos