As dançarinas do célebre cabaré parisiense Crazy Horse declararam greve, pela primeira vez desde sua criação em 1951, e decidiram suspender o espetáculo por considerar que seus salários “não correspondem à carga de trabalho exigida”.

 

Segundo a emissora francesa “RTL“, as dançarinas decidiram quase por unanimidade não subir no palco na última terça-feira (15) e também na tarde desta quarta, depois da direção rejeitar as propostas de negociação.

Os responsáveis do estabelecimento não quiseram apresentar sua versão enquanto as dançarinas distribuíam panfletos com os motivos de seu descontentamento nos arredores dos Champ-Élysées.

“Não é certo que nós trabalhemos 24 dias ao mês a uma tarifa que é lamentável”, explicou à “RTL” uma das componentes do cabaré que se recusou a apresentar a coreografia elaborada por Christian Louboutin.

Sem mais artigos