Dá para imaginar uma pessoa esquecendo uma cadeira de rodas? E um fogão? Por incrível que pareça, objetos como esses são alguns dos mais de seis mil peças encontradas nas dependências do Metrô de São Paulo todos os meses. 

 

“Já deixaram, por exemplo, um álbum de casamento em um dos trens e a recordação do grande dia foi recuperada pelos donos”, conta a porta-voz do Metrô, Roberta Araujo das Neves. Segundo o Departamento de Comunicação do Metrô de São Paulo, cerca de 35% dos objetos encontrados e encaminhados ao departamento de Achados e Perdidos retornam aos seus donos.

Os campeões de perdas em estações e trens são os documentos, mas também já foram encontrados carrinhos de supermercado, muletascolchão, vestido de noiva e até dentaduras, além dos itens já citados. 

Histórias engraçadas e algumas vezes comoventes fazem parte do dia a dia dos funcionários que trabalham com os objetos perdidos. “Certa vez, uma criança ficou doente por ter perdido sua boneca, mas conseguimos encontra-la e devolver para a alegria de todos”, contou Roberta. Segundo a assessora, outra história marcante foi a de uma passageira que conseguiu reencontrar algumas cartas de amor escritas nos anos 1920. Ela recuperou a relíquia sessenta anos após a perda!

Se você já perdeu alguma coisa nas dependências do Metrô, é possível, entre toda essa diversidade de objetos encontrar o seu pertence. A central de Achados e Perdidos fica nas estações e Largo Treze e funcionam respectivamente das 7h às 20h e das 8h às 17h, em ambas as estações, de segunda à sexta-feira.

Os objetos perdidos permanecem por lá durante 60 dias, depois são triados e encaminhados ao Fundo Social de Solidariedade do Governo do Estado de São Paulo. No caso de documentos, eles vão para os órgãos emissores.

E você, já encontrou algo inusitado no Metrô de São Paulo ou em algum outro meio de transporte coletivo?

Sem mais artigos