Duas estudantes de Paris, França, resolveram usar o humor, e belas pernas, para protestar contra a lei “anti-burca”. A nova lei francesa proíbe mulheres de usarem o véu que cobre todo o corpo em locais públicos.

A decisão, considerada arbitrária e desrespeitosa, motivou as estudantes, sob o nome de Niqabitch, a gravarem um vídeo pela cidade de Paris desfilando com uma burca da cintura para cima, micro-shorts e sapatos de salto-alto.

A dupla gravou a reação de pedestres, turistas e até policiais, que não pareceram se incomodar com o visual das garotas. Uma policial feminina chega a perguntar: “Isso tem a ver com a nova lei?”. Em seguida pediu para tirar uma foto das garotas, chamando a ideia de genial. Em 2011, quando a lei entra em vigor, essa mesma policial terá que multar qualquer mulher que esteja vestindo uma burca.

Continua depois do vídeo.

Vídeo original, publicado pelas próprias Niqabitches.

O nome Niqabitch é a união de Niqab (um dos nomes dados à burca) e bitch (puta, ou vagabunda, em inglês). As auto intituladas cyber-ativistas já foram tema de matérias em alguns dos veículos mais importantes, como o alemão Der Spiegel, e o inglês The Telegraph.

Ao site francês rue89, as garotas – uma delas muçulmana –  explicaram: “Simplesmente vestir uma burca seria simples demais. Então nos perguntamos: ‘como as autoridades reagiriam ao encontrar mulheres vestindo burcas e mini-shorts?”

“Nós não queremos atacar ou denegrir a imagem de fundamentalistas muçulmanos – cada um é cada um – mas questionar os políticos que votaram por essa lei, que consideramos claramente inconstitucional” disseram as ativistas, que ainda não se identificaram.

O site Muslimah Media Watch (que abriga feministas muçulmanas comentando a visão da imprensa e da cultura popular sobre as mulheres da religião) ressalta o valor do protesto, não do ponto de vista religioso, mas sobre a liberdade de escolha.

Mesmo assim algumas das colaboradoras não viram o protesto com bons olhos. Diana disse que “a questão de todo esse desfile pelas ruas não é óbvio para os pedestres. Homens salivando, olhos estáticos, casais confusos – nenhum deles tem certeza do que essa garotas estão fazendo e quem elas são. Seriam muçulmanas tentando passar uma mensagem? Se afirmativo, qual é essa mensagem?”.

Garotas francesas da dupla Niqabitch

Garotas francesas da dupla Niqabitch em trecho do vídeo em que são fotografadas por um motorista

Os pedestres provavelmente não entenderam nada mesmo, mas os mais de 70 mil visitantes ao artigo original no rue89 e mais algumas milhares de visualizações no vídeo original do YoutTube e suas republicações certamente sabem do que elas estão falando.

A nova lei prevê multas de 150 Euros (R$ 350) para as mulheres que vestirem o véu completo, que podem ser trocados por aulas de cidadania. Se um homem for pego obrigando uma mulher a usar a burca pode ser preso e enfrentar uma multa de 30 mil Euros (R$ 70 mil reais).

O Vírgula News acha que:

Apesar de não parecer, já que a gente usa diversas fotos de mulheres, não achamos justa a exploração da mulher, em qualquer circunstância.

Tampouco achamos que o fundamentalismo religioso seja bacana, tendo em vista a quantidade de mortes e sofrimento que já causou e continua causando.

Mas, acima de tudo, respeitamos as liberdades, sobretudo de credo. A escolha sobre usar o véu deve ser exclusivamente da própria mulher. Só ela tem direito de decidir sobre seu corpo.

Então é ponto positivo para as Niqabitches!

E você leitor, gostou do modelito? Você acha que governos podem nos obrigar a mudar nossos costumes e prática religiosa? E as religiões, tem direito de decidir sobre nosso corpo?

Estudantes francesas protestam contra a proibição de burcas mostrando as pernas

Sem mais artigos