A secretária de Segurança Nacional dos EUA, Janet Napolitano, lançou nesta quarta-feira novos anúncios dentro da campanha “If you see something, say something” (“Se você vir algo, diga algo”) para envolver os cidadãos no alerta de possíveis atentados, a menos de um mês dos 10 anos do 11 de Setembro.

“O que detectamos agora são pequenos complôs envolvendo poucas pessoas, que são mais difíceis de detectar para os serviços de inteligência“, indicou Napolitano, que ressaltou que por isso a colaboração cidadã é fundamental.

Napolitano participou nesta quarta-feira em uma jornada na Câmara de Comércio dos EUA dedicada a analisar a evolução dos sistemas de segurança nos últimos 10 anos, desde que a organização terrorista Al Qaeda realizou os ataques em Nova York, Washington e Pensilvânia, matando quase 3 mil pessoas.

“Somos mais fortes do que éramos em 11 de setembro de 2001. Não há garantias neste mundo (que não ocorrerá outro atentado contra os EUA.) e não estou aqui para oferecer-lhes garantias”, assinalou.

“Há ameaças, mas o que podemos fazer é maximizar nossa habilidade para prevenir um ataque, para minimizar as consequências de um possível ataque e aumentar nossa capacidade de resposta e efetividade”, assegurou.

Como o presidente dos EUA já indicou na terça-feira, Barack Obama, mais do que um ataque global, como o lançado há 10 anos, as autoridades americanas temem um ataque perpetrado por um indivíduo que atue sozinho, já que “são mais difíceis de interceptar com antecipação”, especificou a secretária.

Um ataque tão complexo como o de 11/09 é muito menos provável, pois após as medidas adotadas por causa daqueles atentados “temos um sistema de segurança por camadas que nos daria diversos caminhos para interromper um complô tão complicado como esse”, explicou.

Os anúncios de 30 segundos apresentados nesta quarta-feira mostram várias pessoas que chegam a uma estação, um taxista com um telefone celular, e uma mulher em um banco entre outras cenas ambíguas quando um narrador repete a mensagem “If you see something, say something” (“Se você vir algo, diga algo”).

Napolitano ressaltou que não se trata de assustar os cidadãos, pois o objetivo é “viver com informação, mas não viver com medo”. “Quando um tem informação, isso ajuda a reduzir o nível de medo”, declarou, porque com a informação “temos poder”.

A secretária de Segurança Nacional pediu aos empresários que incluam em suas páginas web estas mensagens para que o público se envolva e saiba como notificar adequadamente às autoridades um fato.

EUA pedem cooperação cidadã para prevenir atentados nos 10 anos do 11/9

Sem mais artigos