Ratziel Timshel Ismail Zorobabel Zabud Zimry Pike Blavatsky Philo Judaeus Polidorus Isurenus Morya Nylghara Rakoczy Kuthumi Krishnamurti Ashram Jerram Akasha Aum Ultimus Rufinorum Jancsi Janko Diamante Hu Ziv Zane Zeke Wakeman Wye Muo Teletai Chohkmah Nesethrah Mercavah Nigel Sete Morningstar A. San Juan CCCII. Sim, esse é o nome completo de um garoto de 15 anos que mora em Pangasinan, nas Filipinas. Eu não sei se você conseguiu ler todos os nomes, mas sim, ele tem 40 nomes registrados, excluindo seu pré-nome e último sobrenome.

Ratziel e seus dois irmãos estão sempre chamando atenção por causa de seus nomes longos. Seu irmão Ramuel Spirituel Matatias Obadias Darius Desiderius Abner Macaire Nowell Asa Izzy Zoon politikon Trigg Gruffydd Keen Kemp Knowles Bonifacio Makabayan A. San Juan, de 21 anos, tem 20 nomes e estuda no segundo ano na Universidade Baguio.

Enquanto isso, sua irmã Ramille Lewisse Marion To Kalon Zoe Vera Natalia Nadezna Zora Oséias Pro Patria Berenice Clotilde em Vigor Calamo Naomi Nahum Meetabel A. San Juan, de 25 anos, também tem 20 nomes, mas tem um monte de pessoas no seu trabalho que sequer sabe disso.

Uma das razões por trás dos nomes longos desses irmãos é a insatisfação do pai com a inflexibilidade do governo. “Minha filha nasceu, mas eu não fiquei feliz quando as pessoas encarregadas de seus documentos mostraram pouca imaginação”, disse o pai, San Juan, ao “Weird Asia News”. O formulário tinha um espaço muito pequeno para preencher com o nome. “Eu perguntei: ‘E se eu decidir dar à minha filha um nome mais longo?’ Veio a resposta: ‘Você não pode fazer isso'”, conta.

Como San Juan sempre foi um ativista político na faculdade, acabou não se conformando com a negativa. Até hoje, a família ainda incomoda funcionários do governo cada vez que têm necessidade de documentos oficiais. Em 2005, a família decidiu ir para o exterior, mas levou três anos antes de o Escritório Nacional de Estatísticas liberar a certidão de nascimento da filha mais velha.

Enquanto isso, o Ministério dos Negócios Estrangeiros procurava uma maneira de listar os nomes completos das crianças em seus passaportes. Imprimiu dois de seus nomes na capa e o resto na terceira página.

A aquisição de um visto para os EUA foi muito mais fácil, disse San Juan. “Os funcionários da embaixada americana simplesmente pediram às crianças, que eram muito jovens na época, para recitar seus nomes, e eles fizeram”, assinala. Depois disso, os papéis foram rapidamente processados.

Apesar dos seus nomes serem uma dor de cabeça no processamento de registros oficiais, os irmãos também trazem alegria para as pessoas. “Meus filhos animam qualquer festa. Quando Ramuel tinha 6 anos, uma vez ele contou que foi convidado a ir até a sala dos professores para recitar seu nome. Todos riram muito cada vez que ele conseguia”, relata o pai.

Sem mais artigos