Antes das câmeras digitais, dos selfies e do Instagram, era comum encontrar, em álbuns de fotografia, imagens estragadas por “dedões invasores”. Amadores deixavam displicentemente um dedo na frente da câmera (ou até uma mão inteira), e o registro do borrão ficava para a posteridade. De certa forma, isso tinha seu charme. Por isso, o fotógrafo Erik Kessels reuiniu fotos arruinadas por dedões e as publicou no livro Attack of Giant Fingers (ataque de dedos gigantes, em tradução livre).

O artista obteve as fotos em mercados de pulgas, álbuns de família antigos e na internet. “Em algumas imagens, o dedão é quase ameaçador”, disse Kessels, em entrevista ao site It’s Nice That. “Em outras, há certa pungência. Na foto de um jovem em um uniforme, por exemplo. Ele estava indo para a guerra? Essa foto foi estragada porque seria a última imagem de um amigo, irmão ou filho?”.

No site da agência KesselsKramer, dá para ver outros trabalhos bacanas do artista. Na galeria de fotos aqui em cima, você vê algumas fotos do livro Attack of Giant Fingers.

Sem mais artigos