Veja os torcedores mais malucos que passaram nos estádios da Copa

Esses foram os torcedores mais malucos da primeira semana de Copa do Mundo

A Copa do Mundo no Brasil é dos gringos. Com a Seleção eliminada de forma inacreditável na terça-feira (7), pela Alemanha, o grito de campeão será dado em língua alheia. Em São Paulo, muitos estrangeiros ainda acompanham o torneio. Entre a abertura da Copa do Mundo, em 12 de junho, e o último dia 30, a capital paulista recebeu cerca de 121 mil turistas gringos, segundo levantamento da SP Turis. E o que esses caras acham da forma com que foram recebidos pelos brasileiros? O Virgula conversou com sete gringos para saber. Eles relataram problemas com a língua, mas elogiaram muito a receptividade brasileira. Dá uma olhada.

Floris, da Holanda

Comida: É bem simples, mas também pode ser bem muito boa. Gostei da picanha.

Comunicação: Eu estudei português por dois anos. Estou fazendo um estágio no Brasil há dois meses e, por isso, consigo me comunicar. As pessoas, porém, não são boas em falar inglês.

Transporte: Acho que o transporte é muito bom. O táxi é bem barato. Os ônibus e os metrôs também são muito bons. Não peguei tanto ônibus, mas quando peguei, foi muito fácil. Em relação ao metrô, só não é perto de onde eu moro, mas é muito bom.

Receptividade: Os brasileiros são ótimos. Adoro eles. Eles amam gringos e são muito felizes e trabalhadores, o que é bom para o trabalho. Em geral, eles são muito calorosos.

Segurança: Eu me sinto seguro. As pessoas me diziam que era muito perigoso aqui, antes de eu vir, mas eu não me sinto inseguro. Vi algumas pessoas sendo roubadas na Fan Fest, mas foi o máximo que vi. Não tive problemas em relação a segurança.

Impressão geral: Muito positiva.

Jeffrey, da Alemanha

Comida: A comida no Brasil é deliciosa e equilibrada. Não é tão apimentada. Gostei muito do churrasco. Eu comi muitas vezes nos dois meses em que estive aqui.

Língua: Eu aprendi o básico de português porque vou ficar aqui mais dois anos, mas não sou fluente. É um pouco difícil de conversar com as pessoas em inglês porque não são muitos que falam a língua. Porém, sempre encontramos um jeito para nos comunicar.

Transporte: Eu sempre uso o meu carro, e não tive problemas com isso.

Receptividade: Os brasileiros são muito abertos e sempre tentam ajudar quando podem. Nunca conheci um brasileiro que não estivesse disposto a ajudar quando necessário.

Segurança: Me sinto bastante seguro aqui. Nunca senti que poderia ter problemas andando nas ruas.

Impressão geral: Boa, mas você sente que as coisas acontecem muito lentamente aqui, principalmente para os padrões europeus.

Tomás, da Argentina

Comida: Gostei muito da comida no Brasil, mas acho que a carne brasileira não é tão boa quanto a Argentina. O que eu mais gostei por aqui foi o espetinho de camarão.

Língua: Os brasileiros entendem espanhol e se esforçam bastante para serem entendidos.

Transporte: O transporte público é excelente, muito melhor do que em Buenos Aires. Os vagões do metrô são limpos e têm ar condicionado. Também costumam ser menos cheios.

Receptivade: Excelente. Amamos os brasileiros, todos estão sempre felizes. Chegamos há um dia, e não tivemos muito tempo, mas o pouco de tempos que passamos aqui foi ótimo.

Segurança: Me sinto mais seguro do que na Argentina.

Impressão geral: Ótima.

Tshifhiwa, da África do Sul

Comida: Eu sou vegetariano, então só comi coisas vegetarianas. Nada típico. Mas as refeições que tive foram boas.

Comunicação: Muito difícil, porque muito poucas pessoas falam inglês. No hotel em que estou, ninguém fala em inglês.

Transporte: Eu não tive problemas com isso. Eu carrego um mapa a todo momento e sei aonde vou. Já peguei metrô, ônibus e táxi e me saí bem até agora.

Receptividade: É difícil fazer uma observação isenta porque estamos no meio da febre da Copa. Talvez eu poderia responder melhor a essa questão se estivessse aqui no ano passado. Todo mundo agora está no espírito da Copa e unido em nome do futebol.

Segurança: Como eu disse, tudo foi preparado para a Copa do Mundo. Não dá para saber como é o sistema de segurança brasileiro estando em São Paulo agora. Tudo foi especificamente desenhado para este evento.

Impressão geral: Não dá para ter uma impressão geral do Brasil. Dá para ter uma impressão geral deste torneio. E está sendo fora de série.

Dane, da Inglaterra

Comida: É boa. Os brasileiros comem muita carne e carboidratos, mas pouco vegetal. Eu, particularmente, gosto muito de vegetais.

Comunicação: Eu estou no Brasil há só uma semana, então meu português está ruim. Porém, bastante gente fala inglês e está disposta a ajudar. Sempre conseguimos pedir direções e coisas do tipo.

Transporte: Nós pegamos o metrô duas vezes e achamos muito, muito bom. É fácil de usar e vai para onde quer que você queira ir. Porém, nós ficamos em um táxi ontem por uma hora e meia. O trânsito é ridículo.

Receptividade: Estamos na casa de um amigo brasileiro que conhecemos no Peru. Ele soube que estávamos vindo ao Brasil e ofereceu a casa dele para ficarmos. Isso é típico dos brasileiros. Eles são muito amigáveis. Ontem fomos a um lugar de samba, e as pessoas tentaram nos ensinar a sambar. Não nos saímos muito bem.

Segurança: Como um turista, você sempre tem de prestar atenção em seu bolso, para saber que suas coisas estão lá. Mas eu me senti bastante seguro andando pelas ruas.

Impressão geral: Definitivamente positiva. Obviamente, como um turista, porém, você costuma ver apenas o lado bom dos lugares.

James, da Austrália

Comida: Amamos a comida no Brasil, principalmente a de churrascarias. Provavelmente, é nosso lugar preferido, porque tem muita carne e você pode comer o quanto quiser. Nós australianos adoramos carne.

Comunicação: Na maioria das vezes, conseguimos nos comunicar em inglês. No entanto, muitas das garotas só falam português. Mas isso não é tanto um problema. Eu falo com elas por meio de linguagem de sinais.

Transporte público: Muito fácil e muito melhor que na Austrália.

Receptividade: Fui muito bem recebido [nesse momento, uma garota brasileira pede para tirar uma foto com o rapaz]. Olha só essas garotas. Parece que todos amam a bandeira australiana. Sempre pedem para tirar fotos quando passo.

Segurança: Eu me sinto muito seguro. Vimos muita polícia na rua.

Impressão geral: Antes de eu vir, as pessoas me disseram para tomar muito cuidado, mas, desde que cheguei, tem sido muito divertido apenas. Não tive problemas, tem sido excelente.

Carlos e Juliana, da Colômbia

Comida: Gostamos da comida, mas é um pouco mais cara do que na Colômbia. Comemos pratos mais normais, que temos em nosso país, não coisas típicas do Brasil. Gostamos muito daquela fruta… o caqui.

Comunicação: É possível falar facilmente em espanhol com as pessoas. As pessoas compreendem perfeitamente.

Transporte: Usamos o metrô e o ônibus, e, a nós, parecem ser muito bons. Em Bogotá, de onde viemos, o transporte é horrível. Aqui é muito melhor.

Receptividade: Os brasileiros nos receberam muito bem. São muito amáveis e cordiais. Sempre que perguntamos sobre lugares, nos tratam bem e procuram ser prestativos. No metrô, quando abrimos o mapa, uma pessoa já veio perguntar se precisávamos de ajuda.

Segurança: Não nos aconteceu nada para que nos sentíssemos inseguros.

Impressão geral: Achamos a cidade de São Paulo muito bonita. Tudo foi muito bem organizado para a Copa.

Gringos em SP dizem o que acharam do Brasil durante a Copa

Sem mais artigos