Durante três anos e meio a estudante Ruth Jeffery sofreu perseguições pela internet. Fotos suas foram espalhadas pela rede em sites de conteúdo adulto, assim como vídeos de sexo explícito, além de ter suas contas de e-mail, Facebook e outras invadidas.

O que ela não esperava é que o difamador estava bem pertinho dela: era seu próprio namorado, Shane Webber, a quem ela conhecia há dez anos. 

Ruth e Shane, que têm 22 anos, se conhecem desde criança. Eles se conheceram na escola e começaram a namorar, terminaram o relacionamento e retomaram novamente no final de 2007. 

LEIA MAIS: Homem incendeia próprio corpo e põe fogo na casa da namorada

Shane começou a campanha contra a namorada usando endereços eletrônicos falsos, fingiu ser ex-colegas pelo MSN e enviou as fotos para ela mesma. Depois passou a enviar imagens de Ruth nua para amigos, familiares dos dois, além da inclusão em sites adultos. “Ele estava fingindo ser um monte de gente. As primeiras vezes eu bloquei todos os nomes, mas isso se tornou frequente”, relatou Ruth ao Mail Online. 

A perseguição foi ficando cada vez mais séria e a estudante começou a ter dificuldades na faculdade, além de tomar antidepressivos. Enquanto isso, o namorado fingia que não tinha nada a ver com o assunto. 

Depois dos anos de tortura, que causaram diversos problemas de saúde em Ruth, como depressão e transtorno obsessivo-compulsivo, ela começou a perceber que algumas das informações divulgadas pelo perseguidor só eram conhecidas por uma pessoa, seu próprio namorado, que, logicamente, negou quando foi questionado. O descarado chegou a acusar um amigo, que teve o computador apreendido pela polícia, mas nada foi encontrado.

Até que me junho deste ano, Shane usou a própria conta de e-mail de Ruth para espalhar as fotos. Toda a lista de contatos dela recebeu o conteúdo, inclusive o pai da moça. Mais uma vez a polícia foi acionada e, desta vez, rastreou o endereço de IP do computador, finalmente descobrindo que Ruth estava dormindo com o inimigo

Ao ser preso Shane confessou tudo. Ele será julgado no dia 06 de outubro no Reino Unido. “Eu quero que ele seja colocado na prisão, porque ele destruiu os últimos três anos e meio da minha vida. Eu o conheço há 10 anos e eu sinto que perdi todo esse tempo foi perdido”, disse a vítima. 

Sem mais artigos