Pesquisadores alemães do Instituto Max Planck de Desenvolvimento Humano afirmam que homens que assistem a muita pornografia podem ter algum tipo de disfunção neurológica.

Foram feitas entrevistas com 64 homens, de 21 a 45 anos, sobre seus hábitos pornográficos. Após a entrevista, ele examinaram como seus cérebros reagiram a imagens pornográficas.

Segundo o estudo, esse grupo de homens geralmente tem uma parte do cérebro – o corpo estriado – menor que a média. Essa área do cérebro é responsável pela função de recompensa e motivação, o que levou os cientistas a concluírem que a pornografia pode danificar essa função.

Além disso eles podem ter menos massa cinzenta, o que faz com que seus cérebros sejam menores do que o dos homens que assistem pornografia raramente.

A líder do estudo, Simone Kühn, pontua que ainda não é claro se os materiais obscenos está tornando os cérebros menores ou se homens com cérebro menor é que tendem a consumir esses materiais.

“Nós descobrimos que outra parte do cérebro, que também faz parte do corpo estriado e é ativado quando as pessoas recebem estímulos sexuais, é menos ativo nos homens que assistem a mais pornografia”, afirma Simone ao Mirror.

Sem mais artigos