Este repórter que vos escreve já participou de concurso de drag queen e já comeu pão de queijo de um quilo em nome do jornalismo virgulístico. É o emprego mais insólito do mundo? Não, não é, minha gente. Tem pessoa por aí que dorme de conchinha com estranhos como profissão. E tem gente que observa tinta secar para pagar as contas no fim do mês. Não tem como competir com essa galera (e eu fico feliz com isso).

Para homenagear as pessoas que têm os trampos mais heterodoxos de todos os rolês ever, a gente fez uma listinha de trabalhos inacreditáveis em cima. Dá um check it out.

Sem mais artigos