Sim, hoje, segunda-feira (13), é Dia Mundial do Rock, bebê. E não basta baixar a discografia dos Rolling Stones e meter uma jaqueta de couro por cima dessa camisa pólo para se achar do rock. É preciso ter atitude, é preciso ser diferente, é preciso ter gosto por aquilo que, de alguma forma, choca (nem é tão necessário tocar algum instrumento, na verdade). Aqui embaixo, nós elegemos as sete bandas mais estranhas de que já ouvimos falar. Olha só.

01

P

Burqa Band – as riot grrrls afegãs
Para o grupo afegão, formado só por mulheres, tocar de burca é uma forma de rebeldia irônica contra a repressão do grupo religioso Talebã em seu país. Seu hit é Burka Blue, cuja letra diz: “Todo mundo agora usa burca/ Não dá para saber quem é quem/ Se você tentar encontrar sua irmã/ Pode ser que seja seu tio”. Elas alcançaram certa notoriedade na Europa, mas agora estão paradas com o projeto

02

Rudely Interrupted – deficientes mandando muito
Antes de qualquer coisa, o som da banda australiana Rudely Interrupted é deveras bom, um power pop com vibe de Manchester nos anos 90. Cinco dos seis integrantes são deficientes físicos ou mentais. O vocalista, Rory Burnside, por exemplo, é cego e portador da síndrome de Asperger. O único não-deficiente é o guitarrista Rohan Brooks, um terapeuta musical de deficientes que teve a ideia de juntar alguns de seus alunos no grupo

03

The Shaggs – banda sem coordenação motora
As Shaggs, banda de três irmãs que existiu entre 1969 a 75, era uma das bandas preferidas de Kurt Cobain, líder do Nirvana, e de Frank Zappa (o loucão do Zappa, a propósito, dizia que elas eram melhores que os Beatles). Elas, porém, mandavam muito mal para os padrões fonográficos: instrumentos desafinados, tudo fora do tempo, vozes estranhas. Foi o pai das meninas quem comprou os instrumentos e as fez aprendê-los, depois de uma mulher ler a palma de sua mão e dizer que as filhas formariam um supergrupo de rock

04

O papagaio africano Waldo, 21 anos, é o Evil Papagali original ou algo do tipo. Ele é o vocalista gutural da banda de metal Hatebeak e é grande fã de banana seca. No fim, o negócio é uma brincadeira, mas Waldo e seus dois companheiros humanos de banda lançaram quatro discos ao longo de 12 anos

Hatebeak – e o papagaio vocalista
O papagaio africano Waldo, 21 anos, é o Evil Papagali original ou algo do tipo. Ele é o vocalista gutural da banda de metal Hatebeak e é grande fã de banana seca. No fim, o negócio é uma brincadeira, mas Waldo e seus dois companheiros humanos de banda lançaram quatro discos ao longo de 12 anos

05

Se o Instagram, que nasceu em 2010, é pudico demais para vetar mamilos femininos, o que dizer dessa banda estadunidense de garotas, a Ladybirds, que tocava com peito de fora nos anos 60 e não estaria nem aí para o que você pensasse? A meninas se apresentavam em Las Vegas e apareceram no filme The Wild, Wild World Of Jayne Mansfield, de 1968

The Ladybirds – a banda topless
Se o Instagram, que nasceu em 2010, é pudico demais para vetar mamilos femininos, o que dizer dessa banda estadunidense de garotas, a Ladybirds, que tocava com peito de fora nos anos 60 e não estaria nem aí para o que você pensasse? A meninas se apresentavam em Las Vegas e apareceram no filme The Wild, Wild World Of Jayne Mansfield, de 1968

06

O conceito do grupo pop japonês é juntar a fofura de três vocalistas adolescentes meiguinhas, cantando coisas como "eu quero chocolate", com o peso de canções de metal. Nas performances ao vivo, elas fazem coreografias pop à frente de cavalgadas de guitarra e baterias furiosas. Só no Japão...

Babymetal – Spice Girls do metal
O conceito do grupo pop japonês é juntar a fofura de três vocalistas adolescentes meiguinhas, cantando coisas como “eu quero chocolate”, com o peso de canções de metal. Nas performances ao vivo, elas fazem coreografias pop à frente de cavalgadas de guitarra e baterias furiosas. Só no Japão…

07

Sabe aquelas bandas que inventam uma história mirabolante em torno de si? O GWAR é uma delas. Seus integrantes usam fantasias de "guerreiros interplanetários bárbaros", feitas de espuma, látex e borracha. As letras são satíricas e ultraviolentas, e a performance no palco é carregada de fluidos falsos

GWAR – banda satírica interplanetária
Sabe aquelas bandas que inventam uma história mirabolante em torno de si? O GWAR é uma delas. Seus integrantes usam fantasias de “guerreiros interplanetários bárbaros”, feitas de espuma, látex e borracha. As letras são satíricas e ultraviolentas, e a performance no palco é carregada de fluidos falsos

Sem mais artigos